Cardeal de Timor-Leste

Virgílio do Carmo da Silva: escolhido no “fim do mundo”

| 25 Ago 2022

D. Virgílio do Carmo da Silva é arcebispo de Díli e vai ser feito cardeal pelo Papa Francisco. Foto © José Fernando Real, CC BY-SA 4.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons

D. Virgílio do Carmo da Silva é arcebispo de Díli e vai ser feito cardeal pelo Papa Francisco. Foto © José Fernando Real, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons.

 

Se Jorge Mario Bergoglio pôde dizer que os cardeais da Igreja foram buscar o Papa ao “fim do mundo”, com igual razão o poderia dizer Virgílio do Carmo da Silva que este sábado será instituído cardeal desse jovem país que ocupa metade de uma ilha no sudeste asiático e que dá pelo nome de Timor-Leste. Também ele foi descoberto e escolhido no fim do mundo.

Ele estava num retiro, quando a notícia eclodiu, no domingo da Ascenção, e o representante da Santa Sé no país lhe telefonou. A surpresa foi total e, numa noite de voltas à volta do novo desafio, acabou por encontrar o sentido da missão de que estava a ser incumbido:Percebi que este é um dom que Deus fez, através do Santo Padre, ao povo e a Igreja de Timor-Leste”, nos 500 anos da sua presença naquele território e nos 20 da independência do país, disse ele, há dias, numa entrevista ao Vatican News.

Com 54 anos, o agora cardeal conta a forma quase natural como surgiu a sua vocação de presbítero: quando quis estudar, contactou o colégio dos salesianos, que existia na região. Foi bem acolhido, eles gostaram dele e ele gostou do que viveu e, além da vocação de padre, foi descobrindo também a de salesiano.

Neste país com 96 por cento da população que se afirma católica, é com entusiasmo que o novo cardeal refere que, durante a celebração do 20º aniversário da independência, o Parlamento Nacional aprovou o Documento sobre a Fraternidade Humana, que foi assinado pelo Papa Francisco e pelo Grande Imã [de Al Azhar] em Abu Dhabi. “Acho que fomos o primeiro país asiático a fazê-lo”, regozijou-se.

Virgílio do Carmo da Silva congratula-se com o facto de Timor-Leste, que ocupa metade de uma ilha com o antigo país agressor, perdoou o que viveu e está hoje em paz com os seus vizinhos. 

Do ponto de vista da Igreja, depois de uma fase de acompanhamento da construção do país, de que a fé cristã foi também agente, os desafios agora viram-se sobretudo para a formação: “Devemos garantir que os formadores sejam bem qualificados, especialmente nos seminários. Devemos formar bem os leigos, especialmente os catequistas e outros leigos voluntários, para nos ajudar a aprofundar a fé do povo”, observa.

Uma atenção particular deve ser dada aos jovens, que têm tido, em muitos casos, de abandonar o país, devido ao desemprego e situação de pobreza. “A Igreja continua a estudar como ajudar aqueles que estão longe de sua pátria”, afirma o cardeal.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This