Antecipada segunda fase de desconfinamento

Visitar reclusos não obriga a passe sanitário

| 21 Ago 21

prisao foto (c) Fifaliana Joy Pixabay

Foto © Fifaliana Joy/Pixabay

 

Para visitar um recluso em qualquer prisão portuguesa não é necessário mostrar certificado de vacinação, nem qualquer outro passe sanitário, nomeadamente teste covid-19, pois não existe nestas visitas qualquer contacto com os presos. Para aceder à sala de visitas das prisões é obrigatório o uso de máscara e lavar as mãos com gel hidroalcoólico disponível na entrada. O mesmo procedimento é seguido na maioria dos países da União Europeia.

O Conselho de Ministros desta sexta-feira, 20 de agosto, decidiu antecipar para a próxima segunda-feira, dia 23 de agosto, a segunda fase de desconfinamento que estava previsto se iniciasse a 5 de setembro. A antecipação do calendário resulta de se ter alcançado na quinta, 19, a meta dos 70% da população portuguesa elegível totalmente vacinada.

Todo o território português passa do estado de calamidade a estado de contingência na próxima segunda-feira. Os espetáculos públicos podem agora decorrer com até 75% da lotação total das salas. O mesmo se aplica a casamentos, batizados e conferências. Por outro lado, os transportes públicos passam a funcionar sem limitação de lotação. Os restaurantes, cafés e pastelarias podem dispor de mesas para oito pessoas no interior e para grupos de 15 pessoas nas esplanadas.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia

Neste sábado, em dez cidades

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia novidade

Uma “caminhada pela vida” em dez cidades portuguesas é a proposta da Federação Portuguesa pela Vida e da Plataforma Caminhadas pela Vida para este sábado, 22, à tarde, com o objectivo de contrariar o regresso do debate da eutanásia e os projectos de lei de alargamento de prazos no aborto apresentados entretanto no Parlamento pelas duas deputadas não inscritas.

Sínodo em demanda de mudanças

Sínodo em demanda de mudanças novidade

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This