Vítimas de abuso sexual queixam-se ao Vaticano contra o núncio apostólico em França

| 12 Jul 19 | Igreja Católica, Igrejas Cristãs - Homepage, Newsletter, Últimas, Vaticano/Santa Sé

As queixas de dois franceses chegaram ao Vaticano, que levantou a imunidade diplomática do núncio apostólico em Paris. Foto © AntónIo Marujo

 

Dois homens apresentaram denúncias no sistema judicial do Estado do Vaticano acusando o arcebispo e núncio apostólico em França, Luigi Ventura, de agressão sexual. Este facto levou a Santa Sé a decidir levantar a imunidade diplomática ao arcebispo. Juntamente com outra vítima, Mathieu de la Souchère, um funcionário da prefeitura de Paris acusou Ventura de comportamento inadequado e repetido durante uma recepção de Ano Novo, em Janeiro deste ano.

O incidente foi relatado à presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, e o núncio Ventura foi posteriormente proibido de estar presente em qualquer iniciativa da autarquia, noticiou o La Croix International.

De acordo com esta fonte, o queixoso diz que Ventura o tocou de forma imprópria, repetidamente. As autoridades locais tinham aberto uma averiguação ao caso em Janeiro, mas não tinham ainda questionado o arcebispo até aqui.

A queixa foi apresentada directamente ao padre Hans Zollner, presidente do Centro para a Proteção de Crianças, na Universidade Pontifícia Gregoriana. “Ele foi muito atencioso”, afirmou De la Souchère. “Embora nos recordasse que está a trabalhar principalmente no abuso de crianças, disse que não queria minimizar o que tinha acontecido.”

O núncio argumenta com uma “conspiração”, alegando que, por causa das nomeações de bispos que tem feito, haverá quem queira vingar-se dele.

 

Um padre excomungado em Lyon

A Igreja Católica tem sido, em França, afectada nos últimos anos por diversos casos de abusos sexuais e conduta inapropriada de membros do clero. No fim-de-semana passado, o padre Bernard Preynat, condenado por abuso sexual de menores sobre mais de sete dezenas de escuteiros nas décadas de 1970 e 80, foi excomungado pela arquidiocese de Lyon, na sequência do veredicto de 4 de Julho emitido pelo seu tribunal eclesiástico.

Esta é “apena máxima prevista pela lei da Igreja em tal caso”, disse o tribunal eclesiástico (composto de três padres e responsável pelo estudo do caso criminal), citado numa outra notícia do La Croix International.

A sanção justifica-se, acrescenta a declaração, “em vista dos factos e sua recorrência, o grande número de vítimas, o facto de o padre Bernard Preynat ter abusado da autoridade que lhe é conferida a ele pela sua posição dentro do grupo de escuteiros que ele fundou e liderou desde a sua criação”.

Preynat, 74 anos, encontrava-se já suspenso de exercer o ministério presbiteral. Tem agora cerca de um mês para recorrer da decisão para o tribunal da Congregação para a Doutrina da Fé, do Vaticano, no final de um processo que dura há já mais de um ano.

O julgamento civil deve começar em meados do próximo ano civil e cada vítima deve vir a pretender uma indemnização de 10 mil euros, segundo testemunhos recolhidos pelo Mediapart e que, segundo uma das vítimas, deve ser destinado a associações católicas de apoio social.

Em Março, na sequência da condenação a que o tribunal o sujeitou por encobrimento das acções de Bernard Preynat, o cardeal Philippe Barbarin, na altura arcebispo de Lyon, pediu ao Papa a resignação do cargo, em consequência da condenação por encobrimento.

Outro bispo francês, Hervé Gaschignard, resignara em 2017 do lugar de bispo de Dax (sudoeste do país) devido a “atitudes pastorais inapropriadas” em relação a menores, exercendo actualmente funções de serviço na diocese de Grenoble.

Os relatos de situações relativas a agressões sexuais têm abrangido várias comunidades católicas em França. Na comunidade monástica de Taizé, como o 7MARGENS noticiou, o prior foi comunicar às autoridade a existência de casos antigos e houve mesmo situações em que o sucedido motivou o suicídio de vários padres.

O Papa Francisco presidiu em Fevereiro a um encontro extraordinário de bispos em Roma, para discutir a forma como a Igreja Católica deve abordar e posicionar-se perante os casos de abusos sexuais em todo o Mundo, pouco depois de ter sido tomado conhecimento de uma ordem religiosa em França que fazia das freiras “escravas sexuais”.

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

Núncio que era criticado por vários bispos, deixa Lisboa por limite de idade

O Papa Francisco aceitou nesta quinta-feira, 4 de Julho, a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos. A sua acção era objecto de críticas de vários bispos, embora não assumidas publicamente.

Arcebispo da Beira lamenta que o Papa só visite Maputo

O arcebispo da Beira (Moçambique) lamenta que o Papa Francisco não visite, em Setembro, a zona directamente atingida pelo ciclone Idai, em Março: “Todos esperávamos que o Papa chegasse pelo menos à Beira. Teria sido um gesto de consolação para as pessoas e uma forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas e para esta cidade, que está a tentar reerguer-se”, disse Cláudio Dalla Zuanna.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Criança no centro? novidade

Há alguns anos atrás estive no Centro de Arte Moderna (Fundação Gulbenkian) ver uma exposição retrospetiva da obra de Ana Vidigal. Sem saber exatamente porque razão, detive-me por largos minutos em frente a este quadro: em colagem, uma criança sozinha no seu jardim; rodeando-a, dois círculos concêntricos e um enredado de elipses. Ana Vidigal chamou àquela pintura: O Pequeno Lorde.

Uma espiritualidade democrática radical

Não é nenhuma novidade dizer que o modelo de democracia que temos, identificado como democracia representativa e formal (de origem liberal-burguesa) está em crise. Disso, entre outras razões, têm-se aproveitado muito bem os partidos de extrema-direita. Mas não só eles. Surgem também críticas fortes desde a própria sociedade civil a este modelo.

Cultura e artes

Festa de Maria Madalena: um filme para dar lugar às mulheres novidade

A intenção do autor é dar lugar às mulheres. Não restam dúvidas, fazendo uma leitura atenta dos quatro Evangelhos que Jesus lhes dá o primeiro lugar. A elas, anuncia-lhes quem é Ele, verdadeiramente. Companheiras de Cristo, continuarão a sua missão, juntamente com os homens. Anunciando, tal como eles, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo; curando, baptizando em nome do Senhor. Tornando-se diáconos. Sabe-se, está escrito. Mas, nos Actos dos Apóstolos, elas desaparecem sem deixar rasto.

Mãos cheias de ouro, um canudo e uma intensa criatividade

Na manhã de 7 de Julho, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) inscreveu o Convento de Mafra, o santuário do Bom Jesus de Braga e o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, na sua lista de sítios de Património Mundial. Curta viagem escrita e alguns percursos falados, como forma de convite à viagem para conhecer ou redescobrir os três novos lugares portugueses do Património da Humanidade.

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

"Correio a Nossa Senhora" - espólio guardado no Santuário começou a ser agora disponibilizado aos investigadores

Agenda

Parceiros

Fale connosco