Vítimas de abuso sexual queixam-se ao Vaticano contra o núncio apostólico em França

| 12 Jul 19 | Cristianismo - Homepage, Igreja Católica, Newsletter, Últimas, Vaticano/Santa Sé

As queixas de dois franceses chegaram ao Vaticano, que levantou a imunidade diplomática do núncio apostólico em Paris. Foto © AntónIo Marujo

 

Dois homens apresentaram denúncias no sistema judicial do Estado do Vaticano acusando o arcebispo e núncio apostólico em França, Luigi Ventura, de agressão sexual. Este facto levou a Santa Sé a decidir levantar a imunidade diplomática ao arcebispo. Juntamente com outra vítima, Mathieu de la Souchère, um funcionário da prefeitura de Paris acusou Ventura de comportamento inadequado e repetido durante uma recepção de Ano Novo, em Janeiro deste ano.

O incidente foi relatado à presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, e o núncio Ventura foi posteriormente proibido de estar presente em qualquer iniciativa da autarquia, noticiou o La Croix International.

De acordo com esta fonte, o queixoso diz que Ventura o tocou de forma imprópria, repetidamente. As autoridades locais tinham aberto uma averiguação ao caso em Janeiro, mas não tinham ainda questionado o arcebispo até aqui.

A queixa foi apresentada directamente ao padre Hans Zollner, presidente do Centro para a Proteção de Crianças, na Universidade Pontifícia Gregoriana. “Ele foi muito atencioso”, afirmou De la Souchère. “Embora nos recordasse que está a trabalhar principalmente no abuso de crianças, disse que não queria minimizar o que tinha acontecido.”

O núncio argumenta com uma “conspiração”, alegando que, por causa das nomeações de bispos que tem feito, haverá quem queira vingar-se dele.

 

Um padre excomungado em Lyon

A Igreja Católica tem sido, em França, afectada nos últimos anos por diversos casos de abusos sexuais e conduta inapropriada de membros do clero. No fim-de-semana passado, o padre Bernard Preynat, condenado por abuso sexual de menores sobre mais de sete dezenas de escuteiros nas décadas de 1970 e 80, foi excomungado pela arquidiocese de Lyon, na sequência do veredicto de 4 de Julho emitido pelo seu tribunal eclesiástico.

Esta é “apena máxima prevista pela lei da Igreja em tal caso”, disse o tribunal eclesiástico (composto de três padres e responsável pelo estudo do caso criminal), citado numa outra notícia do La Croix International.

A sanção justifica-se, acrescenta a declaração, “em vista dos factos e sua recorrência, o grande número de vítimas, o facto de o padre Bernard Preynat ter abusado da autoridade que lhe é conferida a ele pela sua posição dentro do grupo de escuteiros que ele fundou e liderou desde a sua criação”.

Preynat, 74 anos, encontrava-se já suspenso de exercer o ministério presbiteral. Tem agora cerca de um mês para recorrer da decisão para o tribunal da Congregação para a Doutrina da Fé, do Vaticano, no final de um processo que dura há já mais de um ano.

O julgamento civil deve começar em meados do próximo ano civil e cada vítima deve vir a pretender uma indemnização de 10 mil euros, segundo testemunhos recolhidos pelo Mediapart e que, segundo uma das vítimas, deve ser destinado a associações católicas de apoio social.

Em Março, na sequência da condenação a que o tribunal o sujeitou por encobrimento das acções de Bernard Preynat, o cardeal Philippe Barbarin, na altura arcebispo de Lyon, pediu ao Papa a resignação do cargo, em consequência da condenação por encobrimento.

Outro bispo francês, Hervé Gaschignard, resignara em 2017 do lugar de bispo de Dax (sudoeste do país) devido a “atitudes pastorais inapropriadas” em relação a menores, exercendo actualmente funções de serviço na diocese de Grenoble.

Os relatos de situações relativas a agressões sexuais têm abrangido várias comunidades católicas em França. Na comunidade monástica de Taizé, como o 7MARGENS noticiou, o prior foi comunicar às autoridade a existência de casos antigos e houve mesmo situações em que o sucedido motivou o suicídio de vários padres.

O Papa Francisco presidiu em Fevereiro a um encontro extraordinário de bispos em Roma, para discutir a forma como a Igreja Católica deve abordar e posicionar-se perante os casos de abusos sexuais em todo o Mundo, pouco depois de ter sido tomado conhecimento de uma ordem religiosa em França que fazia das freiras “escravas sexuais”.

Artigos relacionados

Um ano de 7MARGENS

Um ano de 7MARGENS

Hoje, 7 de Janeiro de 2020, o 7MARGENS completa o primeiro ano de publicação. Garantir a pertinência diária de uma publicação deste tipo, única no panorama da informação religiosa, pela abrangência que marca o seu fluxo noticioso não foi tarefa fácil. Mas, com o apoio, a solidariedade, o contributo e o incentivo de muitas pessoas foi possível corresponder ao que de nós esperavam os que acreditaram neste projeto.

Apoie o 7 Margens

Breves

A mulher que pode ter autoridade sobre os bispos novidade

Francesca di Giovanni, nomeada pelo Papa para o cargo de subsecretária da Secção para as Relações com os Estados, considerou a sua escolha como “uma decisão inovadora [que] representa um sinal de atenção para com as mulheres.

Henrique Joaquim: “Assistencialismo não tira da rua as pessoas sem-abrigo”

“O assistencialismo não tira a pessoa da rua, não resolve o problema; ainda que naquela noite tenha matado a fome a uma pessoa, não a tira dessa condição”, diz o gestor da Estratégia Nacional de Integração dos Sem-abrigo, Henrique Joaquim, que esta quinta-feira, 2 de Janeiro, iniciou as suas funções.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

A viagem começou a 3 de Fevereiro, diante da Sé do Porto: “Quando estacionámos o jipe em frente à catedral do Porto, às 15h30, a aragem fria que fustigava o morro da Sé ameaçava o calor ténue do sol que desmaiava o seu brilho no Rio Douro.” Terminaria doze dias depois, em Bissau: “Esta África está a pedir, em silêncio e já há muito tempo, uma obra de aglutinação de esforços da comunidade internacional, Igreja incluída, para sair do marasmo e atonia de uma pobreza endémica que tem funestas consequências.”

É notícia

Entre margens

Cultura: novas histórias e paradigmas… novidade

“Torna-se necessária uma evangelização que ilumine os novos modos de se relacionar com Deus, com os outros e com o ambiente, e que suscite os valores fundamentais” – afirma a exortação pastoral Evangelii Gaudium. Na mesma linha em que o Papa João XXIII apelava ao reconhecimento da importância dos “sinais dos tempos”, o Papa Francisco afirmou que: “É necessário chegar aonde são concebidas as novas histórias e paradigmas, alcançar com a Palavra de Jesus os núcleos mais profundos da alma das cidades.

Um imperativo de coerência

Ao renunciar, num ato de humildade e, seguramente, após longa reflexão, Joseph Ratzinger declarou não se encontrar em condições físicas compatíveis com o exercício das funções de Papa. Após a renúncia, o colégio dos cardeais eleitores escolheu Jorge Mario Bergoglio, o atual Papa Francisco, alguém que tem procurado atender as necessidades da Igreja, ouvir os fiéis e responder às suas inquietações. Revelou-se uma feliz surpresa para a Igreja, apesar dos movimentos de contestação que surgem em várias frentes.

Esquecer Simulambuco

Como português que sou senti-me um pouco comprometido em Simulambuco, quando visitei Cabinda no mês passado. Portugal falhou aos cabindas talvez porque o que tem de ser tem muita força. É o caso do petróleo.

Cultura e artes

Que faz um homem com a sua consciência? novidade

Nem toda a gente gosta deste filme. Muitos críticos não viram nele mais do que uma obra demasiado longa, demasiado maçadora, redundante e cabotina. Como o realizador é Terrence Malick não se atreveram a excomungá-lo. Mas cortaram nas estrelas. E no entanto… é um filme de uma força absolutamente extraordinária. Absolutamente raro. Como o melhor de Mallick [A Árvore da Vida].

Sete Partidas

Guiné-Bissau: das “cicatrizes do tempo” ao renascer do povo

Este mês fui de visita à Guiné. Uma viagem de memória para quem, como eu, não tinha memórias da Guiné. Estive em Luanda ainda em criança, mas as memórias são as próprias da idade. Excepção à única em que o meu pai me bateu. Às cinco da tarde saí de casa e às dez da noite descobriram-me a assistir, divertida, ao baile no clube. Uma criança de cinco anos, branca e loura, desaparecida na Luanda dos anos 1960 não augurava coisa boa, o que gerou o pânico dos meus pais. Daí a tareia…

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Jan
21
Ter
Viagem pela Espiritualidade – Conversa com Luís Portela @ Fund. Engº António de Almeida
Jan 21@18:15_19:15

Conversa em torno do livro Da Ciência ao Amor – pelo esclarecimento espiritual, de Luís Portela, com apresentação de Guilherme d’Oliveira Martins e a participação de Isabel Ponce de Leão, Luís Carlos Amaral, Luís Miguel Bernardo, Luís Neiva Santos,
Manuel Novaes Cabral e Manuel Sobrinho Simões

Jan
23
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 23@21:30_23:00

Conferência sobre “Periferias”, com Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

Jan
30
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 30@21:30_23:00

Debate sobre “Aqui e agora”, com Luís Macieira Fragoso e Maria Cortez de Lobão, presidente e vice-presidente da Cáritas Diocesana de Lisboa

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco