Inaugurados dia 25

Vitrais e escultura celebram videntes de Fátima na Igreja da Golpilheira

| 23 Fev 2024

Igreja da Golpilheira, vitrais de Sérgio Bernardo e Margarida Ângelo. Foto DR

O desenho dos vitrais foi encomendado à artista leiriense Sílvia Patrício, que assinou em 2017 os retratos oficiais usados na celebração de canonização de Francisco e Jacinta Marto. Foto: Direitos reservados

 

A comunidade cristã da Golpilheira – inserida na paróquia da Batalha – vai estar em festa no próximo domingo, 25 de fevereiro, data em que serão inaugurados e benzidos os novos vitrais e esculturas dos três videntes de Fátima que passarão a ornamentar a sua igreja principal – a Igreja de Nossa Senhora de Fátima. As peças artísticas foram criadas por autores nacionais, sob a coordenação do diretor do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima, Marco Daniel Duarte.

O projeto, que envolveu um investimento de mais de 60 mil euros, só foi possível de tornar realidade porque a respetiva proposta venceu, em 2017, o orçamento participativo municipal, no valor de 30 mil euros, com a maioria dos votos recolhidos em todo o concelho da Batalha.

O desenho dos vitrais foi encomendado à artista leiriense Sílvia Patrício, que assinou em 2017 os retratos oficiais usados na celebração de canonização de Francisco e Jacinta Marto. A execução foi adjudicada ao atelier Vitrais Portugal, dos vitralistas Sérgio Bernardo e Margarida Ângelo, formados na antiga Escola de Artes e Ofícios Tradicionais da Batalha.

A escultura dos três videntes, também da autoria de Sílvia Patrício, representa-os em tamanho real e ficará no chão, ao nível da assembleia. ” É uma opção arrojada e não muito comum, que permitirá uma leitura de proximidade – de “Santos ao pé da porta”, como diz o Papa – e até de interação, sobretudo com as crianças. Ficarão na zona diante do sacrário, um local predileto dos três pequenos Videntes”, adianta a paróquia em comunicado enviado ao 7MARGENS.

As novas peças representam para a comunidade “uma mais-valia patrimonial inestimável, dando a esta igreja uma
identidade que já mereceu referências a nível nacional e internacional”, conclui a nota.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This