“Uma ética sexual renovada”

Votação dos bispos causa rutura no Caminho Sinodal alemão

| 8 Set 2022

eorg batzing caminho sinodal alemao foto © Synodaler WegMaximilian von Lachner

O bispo Georg Bätzing lamentou que os seus pares não tivessem sido capazes de dar voz às divergências. Foto © Synodaler Weg/Maximilian von Lachner.

 

 

A recusa dos “princípios de uma ética sexual renovada” originou um forte tremor de terra esta quinta-feira, em Frankfurt, no arranque da quarta e penúltima sessão do Caminho Sinodal da Igreja Católica da Alemanha. A votação deu-se a meio da tarde, na sequência de uma série de perto de duas dezenas de intervenções e tinha por base um dos documentos “fundacionais” do Sínodo, o qual se encontrava já em segunda leitura, incorporando críticas, sugestões e aprofundamentos surgidos dos debates e sessões de escuta de etapas anteriores.

O texto com os “princípios para uma ética sexual renovada” parte da verificação de que os ensinamentos da Igreja acerca da sexualidade levaram e continuaram a levar muitas pessoas e famílias a situações de grande sofrimento e que as mudanças ocorridas nas nossas sociedades, nas últimas décadas, obrigam a uma reflexão aprofundada, de caráter teológico e pastoral. Assim, na parte das orientações e princípios, o documento apresenta pistas sobre temáticas tais como “a sexualidade como dom e mandato criativo”; valorização da identidade sexual na sua diversidade ao longo da vida de uma pessoa; assunção da multidimensionalidade da sexualidade humana; a fertilidade e a sua multidimensionalidade, incluindo nos casais homossexuais; a beleza vivificante do desejo sexual; a sexualidade como relação consigo mesmo e com os outros.

Quando a moderadora abriu as votações, feitas por via eletrónica, a votação geral foi expressiva: mais de 80 por cento dos 190 membros sinodais presentes pronunciaram-se pela adoção do texto em apreciação (apenas 9,5 por cento se opuseram e 8,4 abstiveram-se).

 

Parte dos bispos calou-se no debate e depois votou contra

Contudo, segundo as regras deste Caminho Sinodal, que haviam sido acertadas com o Vaticano, para que a votação fosse válida, teria de recolher também pelo menos dois terços dos votos entre os bispos sinodais. A surpresa aconteceu quando surgiram os resultados no ecrã: apenas 61 por cento dos membros do episcopado sufragaram o documento. Em claro contraste com o tom geral das intervenções no debate, onde as críticas ao documento no seu todo não foram significativas.

O choque foi evidente na sala de congressos em que decorre até sábado esta quarta sessão, o que levou à interrupção dos trabalhos. O presidente da Conferência Episcopal Alemã, Georg Bätzing, que é também copresidente desta iniciativa, sentiu-se na obrigação de ir aos microfones manifestar o seu desapontamento pessoal pelo resultado. Lamentou que os seus pares não tivessem sido capazes de dar voz às suas divergências, sublinhou que este resultado não impede votações subsequentes que têm a ver com a implementação de ações relacionadas com a mesma matéria, mas disse aceitar as consequências dos resultados.

Bem mais contundente foi a também copresidente do Caminho Sinodal, Irme Stetter-Karp, que preside ao Comité Central dos Católicos Alemães.

“Há, nesta assembleia, lamentou Stetter-Karp, bispos com grandes responsabilidades que se recusaram a debater, não expressaram os seus pontos de vista e vieram a votar contra o documento. Isto significa um desrespeito por muitas pessoas que dedicaram milhares de horas a trabalhar, a escutar e a construir propostas. A sua posição defraudou as minhas expectativas, não por terem uma opinião diferente, mas porque não se mostraram com a responsabilidade que era esperada.”

A dirigente católica observou ainda que nada garante que esta fuga à discussão não continue na apreciação e votação de outros temas importantes para os membros da Igreja alemã. “Se isto é assim, para que estamos aqui? Assim não vale a pena continuar”, desabafou ela, com os olhos em lágrimas e sob um forte aplauso da audiência.

georg batzing caminho sinodal alemao foto © Synodaler WegMaximilian von Lachner

A surpresa aconteceu quando surgiram os resultados no ecrã: apenas 61 por cento dos membros do episcopado sufragaram o documento, sendo necessários 66 por cento. Foto © Synodaler Weg/Maximilian von Lachner.

Instalada a crise, parar para (re)pensar

Perante a situação gerada, o bispo Bätzing voltou a intervir, reconhecendo que não havia condições para prosseguir a densa agenda pré-estabelecida e devolveu à assembleia a palavra sobre o modo de proceder.

Depois de um demorado debate, foi decidido que cada um deveria ter um tempo para meditar no que tinha acabado de se passar, para conversar com outros e buscar caminhos para avançar.

Ainda estas palavras ressoavam na sala, e um grupo musical entoava o cântico de Taizé, inspirado em Teresa de Ávila: “Nada te turbe, nada te espante, só Deus basta”.

 

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Uma forma de "construir pontes"

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas novidade

Amir tem cinco anos e, até agora, não podia correr nem brincar como a maioria das crianças da sua idade. Quando tinha apenas 24 meses, apanhou um vírus que resultou no bloqueio de uma das suas artérias coronárias, pelo que qualquer esforço físico passou a ser potencialmente fatal. Mas, muito em breve, este menino palestiniano poderá recuperar o tempo perdido. Com o apoio da organização humanitária israelita Save a Child’s Heart, Amir acaba de ser operado num hospital em Tel Aviv e está fora de perigo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres

Entrevista à revista America

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres novidade

“O divisionismo não é católico. Um católico não pode pensar ‘ou, ou’ e reduzir tudo a posições irreconciliáveis. A essência do católico é “e, e”. O católico une o bem e o não tão bom. O povo de Deus é um” – afirmou o Papa Francisco, a propósito das divisões na Igreja americana, na entrevista concedida no dia 22 de novembro a um conjunto de editores jesuítas e publicada na edição da revista America – The Jesuit Review desta segunda-feira, 28 de novembro.

Terra de pobreza e de milagres

[Crónicas da Guiné – 1]

Terra de pobreza e de milagres novidade

A Guiné-Bissau, como país, é um bom exportador de más notícias. E quando se chega ao território, o que imediato se faz notar é a pobreza e o lixo. Mas quando nos dizem “Tenho orgulho em Bissau ser uma cidade limpa… em comparação com outras capitais desta região de África”, percebemos que tudo é relativo – relativo aos padrões que adoptamos. Ou às notícias que procuramos. Porque há notícias que vêm ter connosco, pois sabem que serão bem acolhidas, e outras que se deixam ficar no seu cantinho, silenciosas, porque se reconhecem sem interesse.

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum

América Latina

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum novidade

Depois da Rede Eclesial Pan-Amazónica (REPAM) e da Rede Eclesial Ecológica Mesoamericana (REGCHAG), nasce agora a Rede Eclesial Gran Chaco e Aquífero Guarani (REGCHAG), com o objetivo de proteger os territórios que lhe dão nome e as respetivas comunidades, face a ameaças como o desmatamento, a contaminação e o desrespeito pelos modos de vida.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This