Terminou visita do cardeal Zuppi

Zelensky pressiona Papa a aderir ao plano de paz da Ucrânia

| 6 Jun 2023

Presidente Volodymyr Zelenskyy com o cardeal Matteo Zuppi, enviado especial do Papa Francisco. © Site RISU (Religious Information Service of Ukraine)

 

 

O cardeal enviado do Papa para explorar possibilidades de paz na guerra que resultou da invasão da Ucrânia pela Rússia encontra-se na capital ucraniana e teve esta terça-feira um encontro com o presidente Volodymyr Zelensky.

Segundo fonte oficial ucraniana, citada pelo site RISU, da Universidade Católica do país, o encontro serviu para trocar pontos de vista, avaliar a situação humanitária e a cooperação nesse âmbito entre os dois estados.

O cardeal Matteo Zuppi e o presidente Zelensky abordaram aquilo a que o estadista designa por “Fórmula de Paz Ucraniana” e “a necessidade de envolver o maior número possível de países, incluindo o Sul Global, na Cimeira Mundial da Paz”. O chefe de Estado disse congratular-se com “a disponibilidade de outros Estados e parceiros para encontrar caminhos para a paz”, mas, acrescentou, “como a guerra continua no território da Ucrânia, o algoritmo para alcançar a paz só pode ser ucraniano”.

Entretanto, num comunicado divulgado em Roma pela Sala de Imprensa do Vaticano, o cardeal Zuppi agradece os encontros com as autoridades civis e com os representantes religiosos, e sobretudo com o presidente do país, sublinhando:

“Os resultados destes encontros (…) bem como a experiência direta do sofrimento atroz do povo ucraniano devido à guerra em curso, serão levados à atenção do Santo Padre e serão, sem dúvida, úteis para avaliar os passos a dar tanto a nível humanitário como na procura de caminhos para uma paz justa e duradoura”.

 

Monges ortodoxos pressionados a abandonar mosteiro

Mosteiro das grutas (Lavra) Foto © Wikimedia

 

Aos monges ligados à Igreja Ortodoxa da Ucrânia (IOU) que tem estado historicamente ligada ao Patriarcado de Moscovo, que ocupam o mosteiro das grutas (Lavra), nos arredores de Kiev, foram dados três dias para abandonarem as instalações.

A ordem nesse sentido foi dada esta terça-feira, 6 de junho, pelo ministro ucraniano da Cultura, Alexander Tkachenko, através de uma mensagem colocada na sua conta do Telegram, que terá sido também, segundo afirma, enviada ao mosteiro e aos responsáveis máximos da IOU.

Segundo o membro do governo, a comissão nomeada pela Reserva Nacional Kiev Grutas de Lavra concluiu a inspeção da parte ocupada pelos monges da IOUU e exige que ela “liberte o mosteiro dentro de três dias úteis”, a contar da recepção da ordem.

A Reserva Nacional é a organização estatal que, sob a tutela do Ministério da Cultura, controla juridicamente o património edificado do mosteiro, que alojou, no regime soviético, um museu do Estado.

De acordo com o site Orthodox Christianity, que dá a notícia, o ministro terá declarado que caso a ordem não seja cumprida, “será instaurado um processo judicial para que seja tomada a decisão oportuna para desobstruir o usufruto do imóvel pela Reserva”.

Entretanto, a mesma notícia refere que os representantes do mosteiro se recusaram a aceitar a determinação superior, informação confirmada do lado da IOU, que desvalorizou a posição de Alexander Tkachenko.

De facto, o metropolita Clemente, que é o chefe do Departamento de Informação daquela Igreja, citado pelo site da União dos jornalistas Ortodoxos, disse que a exigência do responsável do Ministério da Cultura “não terá consequências legais”.

De facto, como o 7Margens já noticiou, o Governo tem tentado várias formas de pressão no sentido de evitar uma posição de força que pode redundar num conflito religioso. Chegou mesmo a registar-se uma movimentação fracassada, no sentido de depor o Abade de Lavra e colocar um outro ligado aos ortodoxos da Igreja ucraniana sem laços com Moscovo. Recorde-se que um prazo esteve já fixado em 29 de março deste ano para os monges saírem das instalações, que não deu resultado. E esta será mais uma dessas iniciativas. Ela coincide, significativamente, com (mais) um adiamento – por um mês – do processo sobre a mesma matéria, que o Tribunal Comercial de Kiev aprecia desde há meses.

 

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This