La Croix

Diário católico francês apela ao voto em Emmanuel Macron

| 21 Abr 2022

A primeira página do La Croix com o apelo ao voto em Macron, em editorial.

A primeira página do La Croix com o apelo ao voto em Macron, em editorial.

 

O diário católico francês La Croix apelou esta quinta-feira, dia 21 de Abril, ao voto em Emmanuel Macron na segunda volta da eleições presidenciais, que se realizam no domingo, dia 24. “A ameaça histórica que representaria a eleição de Marine Le Pen” é a primeira razão indicada para esta manifestação pública de apoio ao Presidente da República cessante.

Marine Le Pen, diz o editorial assinado por Jérôme Chapuis, chefe de redacção, “é uma candidata de extrema-direita”. O programa que apresenta “comporta o risco de danos irreparáveis ao equilíbrio de poder, à liberdade religiosa e aos princípios básicos de solidariedade para com os mais desfavorecidos, a começar pelos migrantes que fogem da guerra ou da miséria”. Quanto ao projecto que corporiza, “apenas é unificador no nome: o nacionalismo que constitui o seu pano de fundo acaba inevitavelmente por produzir divisão e violência, como ilustra tragicamente a invasão da Ucrânia pela Rússia”.

Quando a guerra domina a actualidade europeia, o que importa não é arriscar uma paralisia da União Europeia (UE), escreve Jérôme Chapuis, explicando que “as afinidades de Marine Le Pen a ligam a Trump e Putin, adversários declarados da UE. Aqueles que estão constantemente a minar o campo da democracia recorrendo a todos os meios seriam os primeiros a alegrar-se com sua vitória”.

O jornal reconhece que “a recondução de Emmanuel Macron não fará desaparecer por magia as profundas fracturas que atravessam a sociedade francesa”. De resto, os franceses conhecem os limites da sua actuação política. “Repararam na sua tergiversação relativamente à ecologia, estão agastados com o seu liberalismo ou com a sua pretensão de encarnar sozinho o campo da razão”. Todavia, reconhecendo que a reeleição de um presidente cessante raramente é um voto de entusiasmo, o jornal considera que votar em Emmanuel Macron “continua a ser a única opção desejável”. Em seguida, importará empreender “uma profunda reconstrução das nossas instituições democráticas e, em particular, dos partidos políticos para que se oponham em clivagens mais sadias”.

A tomada de posição ocorre numa ocasião em que, como reconhece o jornal, o apelo aos extremos é mais forte e os católicos não lhe são insensíveis. Para o jornal, “isso significa assumir um desacordo com alguns de seus leitores”. Mas o que com este apelo ao voto se pretende é “afirmar valores importantes para a vida em sociedade e servir honestamente o debate público”.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This