Movimento Laudato Si' sobre a COP26

Acordo final “ultrajante”, mas sociedade mais comprometida que nunca

| 17 Nov 21

manifestacao cop26 movimento laudato si foto c movimento laudato si

“Enquanto os líderes mundiais debatiam as medidas a serem tomadas, havia cerca de 100.000 pessoas a participar numa marcha sem precedentes no Dia de Ação Global pela Justiça Climática”. Foto © Movimento Laudato Si’.

 

“Dececionados”, mas ao mesmo tempo “esperançosos”: é como se sentem os católicos um pouco por todo o mundo, e em particular os que estiveram presentes em Glasgow, onde decorreu a COP26, segundo o comunicado enviado pelo Movimento Laudato Si’ ao 7MARGENS, esta quarta-feira, 17.

“Os líderes mundiais mais uma vez ficaram aquém do que o Papa Francisco e muitos outros esperavam da cúpula da ONU em Glasgow. O acordo final não chega nem perto da crise climática que vivemos. É ultrajante”, considera Tomás Insua, diretor executivo do movimento. Mas acrescenta que, tal como foi visto em Glasgow e em redor do planeta em diversas marchas, atividades e encontros, “o movimento global para cuidar da nossa casa comum é mais forte do que nunca e não vai parar”. Pelo contrário, “com parceiros em todo o mundo, este movimento continuará o trabalho urgente de salvar a Criação de Deus”, assegura o responsável.

Já na passada quinta-feira, 11, a Santa Sé tinha manifestado através da divulgação de um comunicado que mantinha a esperança num acordo com “um roteiro claro” para preencher as lacunas que surgiram nas áreas de mitigação, adaptação e financiamento, aspetos fundamentais que devem ser tratados, reforçados e renovados a fim de atingir os objetivos do Acordo de Paris.

Por sua vez, mais de 60 organizações católicas, incluindo o Movimento Laudato Si’, emitiram uma declaração conjunta na sexta-feira, 12, em que expressaram que “uma economia extrativa e insustentável, alimentada por combustíveis fósseis, está a provocar a crise climática que está a destruir a criação de Deus e a prejudicar os mais vulneráveis”, e apelaram à adoção de medidas essenciais que acelerem o investimento num futuro de energia limpa para todos.

 

Outra COP a acontecer nas ruas

O saldo da presença dos católicos em Glasgow é bastante positivo, considera o movimento. “Ao longo das quase duas semanas de negociações, [milhares de católicos] participaram em inúmeros eventos e iniciativas para fazer chegar aos líderes as suas reivindicações, como no caso da apresentação da petição Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis, que apoia o apelo do Papa Francisco para uma ação urgente pelo cuidado da casa comum”, tendo já reunido as assinaturas de mais de 130.000 pessoas e 425 organizações.

Lorna Gold, presidente do conselho administrativo do Movimento Laudato Si’, disse durante o encontro “Católicos em Glasgow” que outra COP estava a acontecer nas ruas. “Enquanto os líderes mundiais debatiam as medidas a serem tomadas, havia cerca de 100.000 pessoas como Isabella Harding, uma avó de 67 anos, ou as freiras e animadoras Laudato Si’, Kate Midgley e Zoe Leadbetter, a participar numa marcha sem precedentes no Dia de Ação Global pela Justiça Climática”, sublinha o comunicado.

“Os católicos continuarão a falar sobre o cuidado com o meio ambiente”, conclui a nota de imprensa do Movimento Laudato Si’, recordando ainda o lançamento recente da Plataforma de Ação Laudato Si’ como um espaço para instituições, movimentos e dioceses partilharem as suas ações em favor do planeta.

 

Abusos na Igreja e Vaticano: “Fazer o que ainda não foi feito”

Análise

Abusos na Igreja e Vaticano: “Fazer o que ainda não foi feito” novidade

Sobre as leituras e as consequências do estudo divulgado há precisamente uma semana relativamente aos abusos na Arquidiocese de Munique, umas das principais da Alemanha, o mundo católico encontra-se em suspenso. Já esta sexta-feira, 28, espera-se o pronunciamento da diocese visada e tanto o Vaticano como Bento XVI anunciaram ir estudar atentamente o documento, tendo o Papa Emérito prometido responder.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral

Diocese de Leiria-Fátima

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral novidade

A partir do próximo dia 8 de fevereiro, a Escola Diocesana Razões da Esperança (EDRE), do Centro de Cultura e Formação Cristã da Diocese de Leiria-Fátima, contará com uma novidade na sua oferta formativa: pela primeira vez e de forma mais sistematizada, será dada atenção às questões ambientais e ecológicas, na linha do que o Papa Francisco propõe na Encíclica Laudato Si’. A disciplina terá a designação de “Cuidar da Terra, cuidar do outros” e será lecionada por elementos da Rede Cuidar da Casa Comum, noticia a diocese no seu site.

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos novidade

Regressei ao cristianismo. Mas fui budista zen cerca de quinze anos, integrada na orientação budista zen do mestre japonês Taisen Deshimaru (Associação Zen Internacional); tendo como mestre um dos seus discípulos, Raphael Doko Triet. Gostaria de lhe prestar aqui a minha homenagem pois aprendi muito com ele, ligando-nos ainda – embora à distância – uma profunda amizade.

Fale connosco

Abusos na Igreja
Dar voz ao silêncio

Contactos da Comissão Independente

https://darvozaosilencio.org/

E-mail: geral@darvozaosilencio.org

Telefone: (+351) 91 711 00 00

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest

Share This