Amnistia Internacional

Os trabalhadores dos estádios do Qatar também têm direitos

| 18 Set 2022

Estádio no Qatar

 

Uma nova sondagem global requisitada pela Amnistia Internacional revela que quase três quartos (73%) dos adultos inquiridos defende que a FIFA deve indemnizar os trabalhadores migrantes que sofreram violações de direitos humanos durante os preparativos para o Campeonato do Mundo de 2022.

A sondagem envolveu adultos de 15 países, mais de 17 mil, segundo a Amnistia Internacional, cuja maioria indicou que gostava que a associação do país a que pertence pudesse ser mais ativa na defesa dos direitos humanos nesta situação, em que a organização do Mundial é acusada de vários atentados contra os direitos humanos dos seus trabalhadores, nomeadamente percebendo o que se passa.

“Estas descobertas enviam uma mensagem clara à liderança do futebol. Em todo o mundo, as pessoas são unidas no seu desejo de ver a FIFA a intensificar e reparar o sofrimento suportado por trabalhadores migrantes no Qatar. Também querem ver as suas associações nacionais a posição mais firme”, disse Steve Cockburn, Chefe do Departamento Económico e Social da Amnistia Internacional.

Em maio deste ano, um conjunto de organizações criou o #PayupFIFAOs resultados da sondagem fundamentam o propósito da campanha #PayUpFIFA lançada por uma coligação de organizações de direitos humanos – incluindo a Amnistia Internacional – junto de grupos de adeptos e sindicatos, em maio de 2022, que apelava à FIFA para reservar um fundo para indemnizar trabalhadores e prevenir abusos futuros.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This