Fátima Grácio (1944-2024)

Uma mulher de Abril totalmente confiante em Deus

| 1 Jul 2024

Fátima Grácio: “De exemplar fidelidade ao Movimento do Graal desde a sua juventude, amplamente implicada na transformação social, é(ra) uma “mulher do 25 de Abril” dotada de uma singular capacidade de liderança.” Foto: Direitos reservados.

Fátima Grácio, do Movimento do Graal, partiu para a Luz plena na tarde do último domingo, 30 de junho, rodeada pela família e pelas companheiras do Graal, após prolongada doença que se arrastou ao longo de vários anos. Foi exemplo de resiliência e total confiança em Deus, sem nunca ter perdido a lucidez e a Fé na Luz e na Alegria Plena.

De exemplar fidelidade ao Movimento do Graal desde a sua juventude, amplamente implicada na transformação social, é(ra) uma “mulher do 25 de Abril” dotada de uma singular capacidade de liderança. Assumiu responsabilidades no MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), partido do poder no seu país de origem. Regressada a Portugal esteve sempre implicada na afirmação cidadã das mulheres, trabalhando nos projetos do SAAL (Serviço de Apoio Ambulatório Local, programa estatal de construção de casas para populações mais pobres), no Porto, onde durante alguns anos esteve ligada ao Bloco de Esquerda. Formou gerações de jovens estudantes para o Graal. Mulher de “projectos”, impulsionou a alfabetização e a animação sociocultural de mulheres em meio rural no Norte do país, segundo as perspectivas filosóficas e metodológicas de Paulo Freire, trabalhando ainda em outros projetos do Graal.

Depois da morte de Maria de Lourdes Pintasilgo, assumiu a presidência da Fundação Cuidar o Futuro ao longo de três anos. Já muito doente, coordenou uma equipa que está presentemente a organizar o Arquivo Nacional do Graal em Portugal.

Em anos mais recentes, mantendo uma profunda fidelidade às suas raízes cristãs, encontrou na filosofia e práticas da “cabala” um importante caminho de aprofundamento espiritual.

Fátima Grácio, rodeada da família, das companheiras do Graal e de variados amigos/as – era uma mulher de grandes amizades… –, fez a sua “passagem” tranquilamente e em paz porque acreditava que a Morte não é senão “o caminho para o outro lado da Vida que não iluminamos” (Bertolt Brecht)… A sua resiliente luta na prolongada doença foi exemplo dessa Fé, desse caminho e dessa passagem. Está na Plenitude e na Alegria… acreditamos.

Fátima Grácio estará na Basílica da Estrela, em Lisboa, nesta terça-feira, dia 2, a partir das 16h30. A celebração da missa de corpo presente e o funeral para o cemitério da Ajuda terão lugar no dia 3 de julho, quarta-feira, às 14h00.

Já com saudade celebramos a tua Vida, Fátima! Aleluia!

 

Teresa Vasconcelos é professora do ensino superior aposentada e participante no Graal, movimento internacional de mulheres enraizadas na fé cristã. (t.m.vasconcelos49@gmail.com )

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica?

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica? novidade

Na música, um dos ministérios mais estruturantes da liturgia católica, este paradigma mantém-se, embora com nuances particulares: salvo algumas (felizmente, cada vez mais) exceções, o ministério do canto, domingo a domingo, é, em Portugal, sustentado maioritariamente por mulheres e a regência dos coros é, preferencialmente, entregue a homens

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This