Hipótese de ir para Roma não se concretizará

Américo Aguiar deverá ser nomeado bispo de Setúbal nos próximos dias

| 17 Set 2023

bispo Américo Aguiar, fotografado na sede da Fundação JMJ, 1.6.2023.. Foto © António Marujo

Américo Aguiar, fotografado na sede da Fundação JMJ, em Junho deste ano. A próxima missão pode ser anunciada dentro de dias. Foto © António Marujo

 

O bispo Américo Aguiar, presidente da Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será formalmente nomeado cardeal no final deste mês, deverá ser o novo bispo de Setúbal, asseguram várias fontes eclesiásticas ouvidas pelo 7MARGENS.

Inquirido sobre o assunto, o próprio diz apenas que não tem “nada a dizer sobre qualquer possível nomeação”, pois aguarda “instruções sobre a nova missão”. E ela tanto pode passar por “continuar em Lisboa, ir para Setúbal, para as Forças Armadas, para a Cúria em Roma ou qualquer outra missão”, acrescenta. Recorde-se que Américo Aguiar esteve no passado dia 8 no Vaticano, tendo-se encontrado com o Papa, naturalmente para confirmar a sua nova missão. No mesmo dia, aliás, o bispo cruzou-se no Vaticano com o actor Sylvester Stallone, tendo na ocasião feito uma foto com ele, que publicou nas redes sociais.

A diocese de Setúbal está vacante há 596 dias, desde 28 de Janeiro do ano passado, quando o anterior bispo, José Ornelas, foi nomeado para Leiria-Fátima (a confirmar-se a nomeação em breve, atinge-se a marca dos 600 dias). O facto de o bispo Aguiar ter estado à frente da JMJ terá sido uma das razões para protelar a nomeação do novo responsável da diocese católica. Em Julho, no entanto, vários membros do clero acreditavam que o presidente da Fundação JMJ iria trabalhar a seguir para Roma, no Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (DLFV).

Nessa altura, como o 7MARGENS deu conta, havia vários argumentos que corriam entre sectores do clero e que pareciam confirmar essa possibilidade: o actual responsável do Dicastério, cardeal Kevin Farrel, poeria tomar posse do cargo de presidente do Tribunal de Cassação do Estado da Cidade do Vaticano, desse modo deixando o lugar livre; e o próprio Américo Aguiar afirmou que a JMJ de Lisboa seria a última com o modelo actual e que o Papa pretendia mudar – o que significava que ele poderia ser escolhido por Francisco para pôr em marcha esse novo modelo.

Agora, no entanto, terminada a JMJ, vários membros do clero de Lisboa e Setúbal garantem que o destino de Américo Aguiar é mesmo a diocese sadina. O próprio terá confiado já a diferentes pessoas que prefere estar na acção concreta de uma diocese a ficar a trabalhar num gabinete. Além de que Aguiar, nascido em Leça do Balio, Matosinhos (fará em Dezembro 50 anos), tem evocado ainda o facto de ser natural da mesma localidade onde nasceu o primeiro bispo de Setúbal, Manuel Martins.

 

As vagas que se seguem

Bispos, clero, JMJ

Bispos portugueses na celebração com o Papa Francisco nos Jerónimos, em Agosto: há mais mudanças a caminho. Foto © João Cláudio Fernandes /JMJ 2023 Lisboa.

 

Se se confirmar esta escolha, ficam de fora outros nomes que foram sendo avançados, nestes últimos 19 meses – sobretudo no último ano, quando se começou a falar mais intensamente de hipóteses de sucessão: entre outros que apareceram, os bispos Vitorino Soares, auxiliar do Porto, e Nuno Brás, actual responsável do Funchal, que andou na baila, tal como o de Américo Aguiar, também para Lisboa (diocese de onde é originário).

O clima em Setúbal já é de aguardar ansiosamente que chegue um bispo. A diocese esteve entregue durante este tempo ao administrador apostólico, padre José Lobato, que podia, tal como estabelece o Direito Canónico, tomar apenas decisões de gestão corrente. E houve mesmo, ao longo deste tempo, reacções públicas mais destemperadas. Um dos últimos exemplos foi o padre Francisco Mendes, pároco da Charneca da Caparica. No dia 10 de Agosto, quando foi anunciada a nomeação do novo patriarca de Lisboa, o bispo Rui Valério, o padre Mendes fez duas publicações na sua página no Facebook usando linguagem em calão para acusar o núncio (embaixador da Santa Sé) em Portugal de ser ele o principal responsável pelo largo tempo de sede vacante. O núncio, de acordo com as mesmas fontes eclesiásticas, preferiu não responder ao padre.

Américo Aguiar estará no final do mês em Roma para receber os símbolos cardinalícios, depois de o Papa Francisco ter anunciado, no dia 9 de Julho, um consistório para a criação de mais 18 cardeais – entre os quais o português Américo Aguiar, que passa a ser o quarto cardeal do país com direito a voto num eventual conclave.

Em Setúbal, uma das tarefas complexas do novo bispo será a de unir um clero dividido, marcado por um importante grupo de padres do movimento Comunhão e Libertação – que vê a missão da Igreja numa lógica de afirmação e, se necessário, confronto social. Alguns deles não estarão de acordo com a escolha, mas o bispo da JMJ terá já confidenciado a várias pessoas que com o diálogo tudo se resolve. Nos próximos dias, a confirmar-se a escolha, estas intenções podem ser reafirmadas pelo novo titular da diocese católica.

Para já, depois de preenchida a “vaga” de Setúbal, ficam as dioceses da Guarda e de Beja a aguardar conhecer os novos titulares. Manuel Felício (Guarda) completou em Novembro último os 75 anos, a idade canónica para a resignação. E João Marcos (Beja), que só completará os 75 anos em Agosto do próximo ano, pediu já para sair, por razões de saúde. Depois destes, o novo patriarca de Lisboa quererá fazer a sua equipa de bispos auxiliares e outras duas dioceses têm titulares à beira de completar os 75: Portalegre-Castelo Branco (Antonino Dias, em Dezembro) e Algarve (Manuel Quintas, Agosto de 2024).

 

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This