Franz Jalics, in memoriam: a herança mais fecunda

| 19 Fev 2021

Franz Jalics, Oração, Contemplação

Capa da edição espanhola dos Exercícios de Contemplação, do padre Franz Jalics. 

Foi através do 7MARGENS que soube da notícia da morte do jesuíta húngaro Franz Jalics (1927-2021). Senti um pouco de pena ao ler a redução biográfica da notícia – facto comum a outros meios de comunicação religiosos internacionais, pelo que pude ver – ao episódio do rapto de Jalics na Argentina durante a ditadura militar, quando Bergoglio era aí provincial dos jesuítas. Correr-se-ia o risco de passar despercebido o facto de ser perder um dos mais interessantes e significativos mestres da arte da meditação cristã do século XX, de que é sinal, por exemplo, o seu reconhecimento como mestre espiritual (a par de Charles de Foucauld) pela conhecida associação espanhola Amigos del Desierto, fundada por Pablo d’Ors. (É possível encontrar na página da associação uma breve biografia e uma entrevista de Jalics.)

Além de algumas obras de iniciação à vida de oração, Jalics deixou uma obra que se tornou uma referência, Exercícios de Contemplação. Introdução à vida contemplativa e à oração de Jesus. Publicada originalmente em 1994 em alemão, foi editada em Espanha pela Sígueme, e foi essa tradução que um dia me veio parar às mãos enquanto pesquisava, no catálogo de uma biblioteca em Santiago de Compostela, livros cujo título contivesse a palavra contemplação.

Deparei-me de imediato com um aviso do autor nas primeiras páginas: trata-se de um manual prático, que pede para pôr em prática determinados passos e exercícios, quer num dia-a-dia normal de trabalho, quer em dias especialmente dedicados à oração. Caso pretendesse ler esse livro como um mero livro de leitura distraída ou corrente, poderia fazê-lo, mas aí o autor já não me acompanharia; só me desejaria uma boa leitura. Infelizmente ainda não tive a coragem de seguir, com fidelidade, os passos propostos pelo autor, não passando ainda da mera leitura; talvez este seja um momento favorável para o fazer.

O livro segue um esquema de dez tempos, pensados para um retiro de dez dias. Em caso de não ser possível este retiro, cada passo pode ser posto em prática durante cerca de duas a três semanas, numa base diária. Trata-se de um caminho de descoberta da oração silenciosa. Em cada capítulo, o autor faz uma exposição (correspondente à orientação dada pelo acompanhante de Exercícios: Jalics é fiel à tradição de Inácio de Loyola, dela partindo), e apresenta os exercícios práticos para esse dia: exercícios como o caminhar na natureza, a atenção aos sons envolventes, o sentir da respiração e da circulação sanguínea, a repetição do Nome de Jesus.

Cada capítulo conclui-se com alguns diálogos inspirados na experiência do autor, no qual este responde às dúvidas e dificuldades dos exercitantes. Não faltam aqui as objeções habituais – o lugar da Escritura num método que a não utiliza diretamente, o serviço aos irmãos, a identidade cristã de tal caminho de oração. A todas Jalics responde com uma sabedoria sensível, colocando a exigência mais radical de uma vida espiritual: a consciência das falsas imagens de Deus e de si próprio que habitam e movem o agir do crente.

Franz Jalics, Oração, Contemplação

O padre Franz Jalics (1927-2021). Foto: Direitos reservados. 

Encontramos aqui pontos de encontro com outros autores católicos de referência, como o beneditino John Main ou o cisterciense Thomas Merton. Ao passo que estes sentiram o repto das tradições de meditação vindas do Extremo Oriente, colocando-as em diálogo com o património cristão, Jalics desenvolveu a sua busca a partir de acontecimentos marcantes da sua própria vida, interpretando-os à luz da tradição espiritual cristã. Enquanto jovem aspirante a oficial na Segunda Guerra Mundial, Jalics sobreviveu milagrosamente ao bombardeamento de um edifício em Nuremberga, fazendo-o experimentar a radicalidade da vida humana diante do limiar da morte.

Na mesma fase, um longo período de inatividade num campo de prisioneiros levou-o a trocar o convívio humano por longos passeios na natureza, em simples observação. Mais tarde, já jesuíta na Argentina, Jalics refere duas experiências difíceis: uma como professor num colégio, assoberbado por múltiplos trabalhos, que o conduziram a uma profunda depressão; mais tarde, o seu rapto e prisão durante cinco meses, em estrito isolamento, com constantes promessas de libertação e sequentes adiamentos.

Foi neste período que a oração de Jesus terá conduzido Jalics a superar o desespero. Em conversa posterior com o superior-geral da Ordem, Jalics terá decidido destruir a documentação relativa à pessoa com responsabilidades que o denunciou a ele e ao companheiro de cativeiro (suspeitos por terem optado por viver num bairro pobre de Buenos Aires), nunca revelando a identidade de tal denunciante.

Jalics relata a sua experiência de vida em Exercícios de Contemplação, e como esta o conduziu à oração silenciosa. Uma sólida formação teológica (Jalics foi, durante o período argentino, professor de teologia, antes de regressar à Alemanha e se dedicar ao acompanhamento espiritual) permeia o seu conhecimento da vida espiritual, marcada pelas ilusões do pecado e redimida pelo Espírito de Cristo. Um caminho de purificação ou de não-conhecimento acompanha o exercitante, desvelando os falsos ídolos que permeiam a nossa oração: a busca de um ganho ou rendimento, a exposição pública, o moldar a imagem de Deus à nossa imagem. Apenas o silêncio – que caminha a par de uma vida de serviço e de conhecimento das Escrituras, mas sem ser por estes absorvido – pode purificar essa vida de oração.

Ancorado na mais sólida tradição cristã – de que os Exercícios de Santo Inácio serão a referência na vida do autor – Exercícios de Contemplação constitui a herança mais bela e fecunda de Jalics. Pelo menos a mais universal, pois as experiências pessoais de quem com Jalics encontrou o caminho da oração permanecem no coração de cada um. Enquanto se aguarda por um melhor recepção em Portugal do fecundo caminho percorrido por Jalics (inclusive pela tradução de Exercícios de Contemplação!), fica esta breve nota de agradecimento.

 

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Resgatadas 29 pessoas

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Dezenas de pessoas estão desaparecidas depois de um barco ter naufragado no mar Egeu, na quarta-feira, ao largo da ilha grega de Cárpatos, divulgou a ACNUR. A embarcação afundou-se ao amanhecer, depois de da costa sul da vizinha Turquia, em direção a Itália. “Uma grande operação de busca e resgate está em curso.”

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This