Rui Vasconcelos

Conduzidos até ao Sétimo Dia

  A escrita de Daniel Faria não permite leituras rápidas ou imediatas: leituras que, por outras palavras, fechem a força do texto e o encerrem numa “mensagem”. Chegará o tempo, a prolongar-se, dos ensaios de leitura pessoais deste inédito agora publicado sob o título de Sétimo Dia; este é o momento de dar a notícia, de chamar a atenção, de...

As casas e os espaços dos primeiros cristãos

Os primeiros quatro séculos de história da Igreja constituíram o ambiente no qual se estabeleceram os alicerces da experiência e da linguagem cristãs: as palavras que ainda hoje dizemos e que nos dizem (Cristo, batismo, eucaristia, Trindade, Igreja) foram criadas nessa época intensa e fecunda, para exprimirem a história da salvação. Por isso,...

Alusões a um corpo ausente

(Breve evocação de José Augusto Mourão op, no décimo aniversário da sua morte – 5.maio.2011) «peço-te a instabilidade do vazio o lugar do observador ou do contista de ruídos a soleira da porta a passagem de hóspedes e alguma jubilação pelo que renova o mundo» («Pedido», O Nome e a Forma p. 132) 1. Cada pessoa que fizer uma evocação de José...

Verbalizar o desejo

O jesuíta e historiador francês Michel de Certeau, estudando as práticas de oração dos monges do deserto, designa o ser humano em oração como «uma árvore de gestos». De pé diante do sol nascente como o estilista ou sentado em torno à respiração como o hesicasta, o monge apresenta o seu corpo de desejo como a oração mais pura e silenciosa, pois as...

Franz Jalics, in memoriam: a herança mais fecunda

Foi através do 7MARGENS que soube da notícia da morte do jesuíta húngaro Franz Jalics (1927-2021). Senti um pouco de pena ao ler a redução biográfica da notícia – facto comum a outros meios de comunicação religiosos internacionais, pelo que pude ver – ao episódio do rapto de Jalics na Argentina durante a ditadura militar, quando Bergoglio era aí...

Pin It on Pinterest