Teatro

Leituras encenadas trazem clássicos do século de ouro do teatro português

| 20 Jun 21

O festival pretende “celebrar o teatro quinhentista dando corpo e voz a um património que merece ser estudado, preservado e representado”. Foto © Teatro Maizum

 

Quinze textos do “século de ouro” da cultura e do teatro em Portugal serão recriados com leituras encenadas, pelo grupo Teatro Maizum, no Festival de Teatro Clássico Português, que decorre na semana que agora se inicia, entre segunda-feira, 21, e sexta, 25 de Junho, sempre a partir das 19h. O Festival integra ainda, no último dia, entre as 14h15 e as 18h30, as primeiras Jornadas de Teatro Clássico Português, que contarão com a participação de especialistas portugueses e brasileiros.

As leituras encenadas, informa o Maizum numa nota de imprensa enviada ao 7MARGENS, incidirão sobre quinze textos do século XVI, criações de dramaturgos conhecidos ou anónimos. Entre os autores conhecidos, estão Sá de Miranda, António Ferreira, Jorge Ferreira de Vasconcelos, António Ribeiro Chiado ou Luís de Camões.

O festival pretende “celebrar o teatro quinhentista dando corpo e voz a um património que merece ser estudado, preservado e representado”. As peças que serão mostradas, considera ainda o Maizum, enriquecem “o imaginário teatral português, revelando a grande diversidade das práticas teatrais ao tempo, e mostrando-nos uma sociedade e uma época que respirava teatro”.

Ao mesmo tempo, o festival é também “uma oportunidade para valorizar a potencialidade cénica dos textos quinhentistas, que uma leitura dramática permite revelar, dando a ver as propostas implícitas de encenação neles contidas e, desse modo, contribuir para a sua recepção e aproximação ao espectador contemporâneo.

O projecto, dirigido por Silvina Pereira, directora artística do Teatro Maizum e investigadora da Universidade de Lisboa, terá transmissão nas páginas do Teatro Maizum e do Palácio Fronteira no Facebook.

 

 

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Xavier na Índia

Infosys premeia historiadora

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Xavier na Índia novidade

O Prémio Infosys 2021 em Humanidades, da prestigiada fundação indiana Infosys Science Foundation, foi atribuído à historiadora portuguesa Ângela Barreto Xavier “pela sua profunda pesquisa e sofisticada análise da conversão e violência no Império Português na Índia, especialmente em Goa”. O júri destaca a contribuição significativa da galardoada para a “história social e cultural do colonialismo português”, concretizando uma voz “importante e original” no que à história colonial e imperial diz respeito.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Novo arcebispo de Braga quer “portas abertas” para todos novidade

O novo arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, saudou a sua nova diocese manifestando a vontade de construir uma “Igreja em saída” missionária e “uma Igreja sinodal samaritana de portas abertas para todos”. O até agora bispo de Bragança-Miranda propõe as atitudes de escuta, conversão, confiança, comunhão, coragem criativa e oração como “caminhos sempre a percorrer no processo sinodal para uma Igreja de hoje”.

Dois terços dos jovens adultos católicos não vão à missa

EUA

Dois terços dos jovens adultos católicos não vão à missa novidade

Mais de um terço (36%) dos jovens adultos católicos americanos nunca frequentava a missa e quase um terço (31%) raramente o fazia, revela um inquérito realizado pelo centro de estudos CARA e divulgado esta quinta-feira, 2 de dezembro. Os dados recolhidos dizem respeito às práticas deste grupo anteriores à pandemia.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This