Vaticano fez parceria com artista de rua

Não leu a mensagem do Papa para a Quaresma? Veja as ilustrações (E, se leu, veja na mesma)

| 25 Mar 2024

O artista MauPal com o Papa Francisco. Foto Vatican media

O artista italiano MauPal mostra algumas das suas ilustrações ao Papa Francisco, com quem já esteve pessoalmente três vezes. Foto © Vatican Media

 

Quantos terão lido a Mensagem do Papa para a Quaresma de 2024? Muito menos do que Francisco gostaria, mesmo (ou principalmente!) entre os católicos. Então, como fazer chegar a mensagem a muitos mais? A equipa do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, no Vaticano, teve uma ideia: estabelecer uma parceria com o artista de rua MauPal (que há dez anos ficou conhecido por ter representado o Papa como super-herói num mural em Roma), para que este a ilustrasse. O resultado está à vista: sete imagens que valem por muitas palavras.

Divulgadas ao longo de cada uma das semanas da Quaresma (a última viu a luz do dia esta segunda-feira, 25 de março), as ilustrações de MauPal, que mostram o Papa a libertar dois reclusos ou a andar de bicicleta rumo ao “Bem Comum”, visam “aproximar Francisco das pessoas”, como explicou o próprio artista numa entrevista recente à AFP.

O designer de 51 anos, que chegou a pintar imagens destinadas a satirizar a Igreja Católica (incluindo a de um cardeal a pedir uma freira em casamento), já esteve três vezes com o Papa e, apesar de não se considerar um “católico praticante”, diz partilhar com ele muitas das preocupações, sobretudo as relativas à justiça social e ao acolhimento dos migrantes. E assume ser fã do bom humor de Francisco, que num dos encontros que tiveram lhe perguntou: “Porque é que me desenhas sempre tão gordo?”.

Mauro Pallotta (verdadeiro nome de MauPal) reconhece que esta colaboração com o Vaticano o levou a mudar a sua visão sobre a instituição, sublinhando que “nunca se deve subestimar a abertura de espírito que existe” no coração da Igreja. E acrescenta: “Não ficaria surpreso se a arte de rua passasse a fazer parte da comunicação do Vaticano, porque eles entendem e sabem muito bem que é a arte mais contemporânea”.

Para já, o certo é que a Mensagem do Papa para a Quaresma de 2024, intitulada “Através do deserto, Deus guia-nos para a liberdade”, está refletida em sete imagens ao estilo grafiti, que não destoariam num muro ou parede de um qualquer grande centro urbano. Mas como, por enquanto, não saíram dos ecrãs (foram apenas partilhadas nas redes sociais), o 7MARGENS partilha-as também abaixo, acompanhadas das respetivas frases-chave da mensagem do Papa que pretendem ilustrar.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This