Escuteiros Católicos distinguidos com Prémio Cidadão Europeu

| 25 Fev 21

CNE, escutismo, escuteiros

O método escutista assenta na “auto-educação progressiva”. Foto © CNE

 

O Parlamento Europeu atribuiu ao Corpo Nacional de Escutas (CNE) o Prémio do Cidadão Europeu 2020, destacando o trabalho da organização na educação e formação dos jovens para a cidadania activa.

A decisão partiu de uma proposta do deputado José Manuel Fernandes (PSD) e teve como fundamento o projecto de educação para a cidadania ativa, capacitação dos jovens e desenvolvimento de competências.

O galardão, diz uma nota do CNE enviada ao 7MARGENS, pretende “recompensar atividades excepcionais” desempenhadas por cidadãos, grupos, associações ou organizações na promoção de “uma maior integração dos cidadãos europeus, cooperação, reforço do espírito europeu e no âmbito dos valores consagrados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia”.

Nesta edição do prémio, respeitante a 2020, o CNE foi a única candidatura portuguesa distinguida.

“É um justo reconhecimento público pelo trabalho desenvolvido no escutismo com um contributo de excelência na educação e formação de jovens, com resultados inestimáveis para a construção de uma sociedade mais justa e solidária, desenvolvida e sustentada nos valores europeus e humanistas”, diz o eurodeputado José Manuel Fernandes, citado na mesma nota.

Ivo Faria, chefe nacional do CNE, manifestou o contentamento da organização pelo “justo reconhecimento” do trabalho dos “milhares de voluntários adultos” que “continuam a perseverar para que o escutismo continue”. Ao mesmo tempo, destaca também o trabalho dos agrupamentos locais, “onde a verdadeira magia do crescimento das crianças e jovens acontece”.

O método escutista, descreve o comunicado, assenta na “auto-educação progressiva”, que permite aos jovens “tomar parte nas decisões” das actividades quotidianas da associação. É esse método, diz ainda a nota, que ajuda a “desenvolver o sentido de cidadania activa nas crianças e nos jovens, baseado na sua participação no desenvolvimento das suas comunidades locais, construindo neles o sentido de criar um mundo melhor, a partir da sua acção local”.

O CNE foi fundado em 1923, tem cerca de 14 mil voluntários e 72 mil associados em todo o país, distribuídos em pouco mais de mil grupos locais – números que fazem dos escuteiros católicos a maior associação de juventude em Portugal. A cerimónia de entrega do prémio – uma medalha ou placa – decorrerá em Novembro deste ano, em Bruxelas ou Estrasburgo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção

Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção novidade

Vem aí o Sínodo, cuja assembleia geral será em outubro de 2023, já depois da Jornada Mundial da Juventude, a realizar em Lisboa, no verão anterior. O tema é desafiante: Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão. O documento preparatório veio a público a 7 de setembro e lança as bases de um caminho a percorrer juntos.

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos

Papa regressou da Eslováquia

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos novidade

O aborto é homicídio, mas os bispos têm de ser próximos de quem defende a sua legalização; os Estados devem apoiar as uniões de pessoas do mesmo sexo, mas a Igreja continua a considerar o sacramento do matrimónio apenas entre um homem e uma mulher; e as vacinas têm uma “história de amizade” com a humanidade, não se entendem por isso os negacionismos. Palavras do Papa a bordo do avião que o levou da Eslováquia de regresso a Roma.

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

Enredado em movimentos tradicionalistas

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

São visíveis na Igreja Católica dos Estados Unidos da América, em especial nos últimos anos, movimentações de setores conservadores e tradicionalistas que, embora não assumindo o cisma, se comportam objetivamente como cismáticos. São numerosas as organizações que contam com o apoio de figuras de projeção mediática e que ostensivamente denigrem o Papa e uma parte dos bispos do seu país. Um nome aparece cada vez mais como elemento comum e de suporte: Carlo Maria Viganò, o arcebispo que foi núncio em Washington e que exigiu, em 2018, a demissão do Papa Francisco. Mais recentemente, outra figura de grande projeção pública que vem surgindo nestas movimentações é a do ator e realizador Mel Gibson.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This