Papa escreveu aos Arautos para que eles aceitem a investigação do Vaticano às acusações contra a organização

| 4 Fev 2020

Papa escreveu aos Arautos para que eles aceitem a investigação do Vaticano às acusações contra a organização

| 4 Fev 20

Em causa, estão acusações de abusos sexuais sobre menores, alienação parental, abusos de consciência e de poder, prática de exorcismos irregulares, culto fanático ao fundador e recolha de donativos sem autorização do bispo diocesano.

Celebração na Semana Santa de 2010, na Igreja de San Benedetto in Piscinula, em Roma, entregue aos Arautos. Foto © Knight746/Wikimedia Commons

 

O Papa Francisco escreveu uma carta ao presidente dos Arautos do Evangelho, instando-os a aceitar a intervenção da Santa Sé naquela instituição, depois de o cardeal Raymundo Damasceno ter sido nomeado comissário pontifício, em nome da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica (CIVCSVA).

De acordo com uma notícia da revista espanhola Vida Nueva, Francisco enviou a carta em meados de Janeiro, dirigida a Felipe Eugenio Lecaros Concha. Nela, faz saber que apoia a intervenção da CIVCSVA em todos os ramos dos Arautos, acrescenta a Vida Nueva.

A Congregação para a Vida Consagrada teve, neste caso, delegação de competências do dicastério para os Leigos e esta foi a razão para que os Arautos não reconhecessem a autoridade do cardeal brasileiro. O decreto da nomeação do cardeal brasileiro, recorda ainda a revista, falava dos Arautos como uma associação pública de fiéis quando, na realidade, são uma associação internacional de fiéis de direito pontifício, aprovada em 2001 pela Santa Sé.

O erro formal foi depois corrigido pelo Vaticano, que recordava ter sido a nomeação do cardeal aprovada directamente pelo Papa que, com esta carta, vem confirmar não só a nomeação como o seu apoio a Damasceno e aos seus assistentes. O cardeal brasileiro começou o seu trabalho pelos dois ramos das sociedades de vida apostólica dos Arautos – o Virgo Flos Carmeli, masculino, e o Regina Virginum, feminino. Com a carta do Papa, Damasceno pode intervir também na associação internacional – caso isso não acontecesse, os seus membros incorreriam em clara desobediência ao Papa.

Notados em cerimónias litúrgicas pelas vestes em tons de castanho e botas altas, os Arautos estão desde 25 de setembro último sob a autoridade do cardeal Damasceno, arcebispo emérito de Aparecida (Brasil), mas já desde 2017 que o Vaticano vem investigando a instituição: há acusações de supostos delitos e irregularidades que teriam lugar no seu interior.

De acordo ainda com a Vida Nueva, estão na lista possíveis casos de abusos sexuais sobre menores, alienação parental, abusos de consciência e de poder, prática de exorcismos irregulares, culto fanático ao fundador e recolha de donativos sem autorização do bispo diocesano.

As acusações atingem, pelo menos indirectamente, o fundador da instituição, o padre brasileiro João Scognamiglio Clá Dias, nascido a 15 de Agosto de 1939. Durante quatro décadas, João Clá Dias integrou a Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), fundada por Plínio Corrêa de Oliveira, como se recorda na página digital dos Arautos em português.

A TFP foi um dos movimentos que mais protagonizou a luta contra qualquer deriva de esquerda política no Brasil, alargando a sua acção a vários outros países.

“Quarenta anos de convívio fazem de Mons. João Sconamiglio Clá Dias, EP, a mais autorizada testemunha sobre a vida, a actuação, as virtudes e o pensamento de Plínio Corrêa de Oliveira”, lê-se na página, num anúncio da colecção de cinco volumes escritos por João Clá sobre o fundador da TFP.

“Observador atento e sistemático das acções de seu mestre, Mons. João oferece uma aula de teologia viva, personificada num varão virtuoso e providencial”, acrescenta o texto, sobre a obra, curiosamente publicada pela Libreria Editrice Vaticana e pelos Arautos.

Imagem da página dos Arautos na internet, com o anúncio do livro do fundador sobre Plínio Corrêa de Oliveira, seu “mestre”.

 

A instituição tem negado desde o início as acusações, mas outros antigos membros dos Arautos que terão sofrido vários daqueles delitos, ainda segundo a VN, acusam a Santa Sé e a Justiça brasileira de não darem informação sobre o andamento das investigações.

Sob investigação do Vaticano, recorda a Vida Nueva, estão documentos como o manual Usos e Costumes, sobre a vida quotidiana dos membros e das crianças que estudam nos seus colégios. O manual chegará ao ponto de explicar como se deve rezar ou fazer o sinal da cruz, ou pormenores como dobrar um guardanapo, lavar as mãos ou lavar os dentes.

O manual inclui ainda inúmeras citações do fundador e de Corrêa de Oliveira e pretende, “glorificar a Deus por meio da beleza de cada uma das acções” do dia-a-dia, de modo a cuidar “o cerimonial, a compostura e a disciplina”.

A Vida Nueva entrevistou ainda José Miguel Cuevas, professor de Psicologia Social na Universidade de Málaga, especialista em em abuso psicológico e fenómeno sectário. Cuevas identifica várias práticas descritas por denunciantes como “claramente compatíveis com dinâmicas sectárias” – e que são explicadas com minúcia no texto referido – e que incluem o isolamento familiar e social dos membros da associação.

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik

Para "dar prioridade às vítimas"

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik novidade

Os Cavaleiros de Colombo, maior organização leiga católica do mundo, anunciaram esta quinta-feira,11 de julho, que irão cobrir os mosaicos da autoria do padre Marko Rupnik, acusado de abusos sexuais e de poder, que decoram as duas capelas do Santuário Nacional de São João Paulo II, em Washington, e a capela da sede da organização em New Haven, Connecticut (EUA). A decisão, inédita na Igreja, surge uma semana depois de o bispo de Lourdes ter admitido considerar que os mosaicos do padre e artista esloveno que decoram o santuário mariano francês acabarão por ter de ser retirados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This