Solidariedade

Como ajudar as vítimas do conflito Israel-Palestina?

| 11 Out 2023

Palestinians evacuate the area following an Israeli airstrike on the Sousi mosque in Gaza City on October 9, 2023. AFPMahmud Hams, via UNOCHA

Palestinianos evacuam a área da mesquita de Sousi, na cidade de Gazam após um ataque aéreo das forças israelitas, na passada segunda-feira. Foto © AFP/Mahmud Hams, via UNOCHA.

 

É praticamente inútil escrever os números de mortos, feridos, reféns e deslocados na sequência do ataque surpresa e sem precedentes da parte de militantes do Hamas e da retaliação que se seguiu pelas forças israelitas. A cada minuto que passa, esses números – na ordem dos milhares – ficam desatualizados. Mas será certamente útil, isso sim, descrever de que modo é possível ajudar aqueles que estão a sofrer – em ambos os lados – com o reacender do conflito israelo-palestiniano.

Apesar dos enormes riscos e dificuldades que enfrentam, várias organizações de ajuda humanitária estão no terreno a prestar auxílio. Assim, uma das formas de ajudar – a partir de qualquer ponto do globo – é fazendo donativos para estas organizações. Na lista abaixo, estão algumas delas, bem como as respetivas ligações para as páginas com informação adicional sobre como ajudar.

 

Aliança para a Paz no Médio Oriente

Fundada em 2006, com sede em Washington DC (EUA), a Aliança para a Paz no Médio Oriente (ALLMEP, na sigla inglesa) é uma coligação de mais de 170 organizações não governamentais, incluindo dezenas de milhares de palestinianos e israelitas, para a construção da paz naquela região. Atualmente, está a auxiliar na resposta a emergências.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

IsraAID

Nascida em 2001 como coligação de organizações israelitas a trabalhar na ajuda humanitária e no desenvolvimento internacional, a IsraAID tornou-se uma ONG independente e é hoje a maior organização de ajuda humanitária em Israel. Neste momento, o seu principal foco é dar resposta à emergência no próprio país, estando a coordenar várias atividades humanitárias nos abrigos que acolhem os deslocados da região fronteiriça de Gaza e a assegurar espaços destinados especificamente a crianças, em que os mais jovens afetados pela guerra “possam brincar, processar e ter a oportunidade de ‘ser apenas crianças’ no meio do caos”.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

Ajuda Médica para os Palestinianos

A ajuda da Medical Aid for Palestinians no hospital Shifa, o maior de Gaza. Foto Mohammed Zaanoun

As equipas da ONG Medical Aid for Palestinians estão a a prestar apoio nos hospitais de Gaza. Foto © MAP/Mohammed Zaanoun.

 

A Ajuda Médica para os Palestinianos (Medical Aid for Palestinians – MAP) é uma instituição de caridade britânica, com sede em Londres, que defende os direitos à saúde e à dignidade dos palestinianos que vivem em territórios ocupados ou como refugiados, oferecendo serviços médicos na Cisjordânia, Gaza e Líbano. Atualmente, as suas equipas estão a trabalhar nos hospitais locais e lutam com a escassez de material médico.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

Movimento Kibbutz

Agregando 257 kibbutzim (comunidades agrícolas) de Israel (nomeadamente as que se situam ao redor de Gaza e que foram alvos diretos dos ataques do Hamas, o Movimento Kibbutz está a recolher fundos para ajudar diretamente as vítimas destes ataques, que se encontram na sua maioria deslocadas, seja com roupas, itens de higiene e alimentação, ou com apoio psicológico e legal, entre outros.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

Fundo de Ajuda às Crianças da Palestina

O Palestine Children’s Relief Fund (PCRF) foi criado em 1991 por benfeitores norte-americanos com o objetivo de fornecer cuidados médicos gratuitos a milhares de crianças feridas e doentes sem acesso a esses mesmos cuidados dentro do sistema de saúde local,  independentemente da nacionalidade, filiação religiosa ou política das suas famílias. Atualmente, está a prestar auxílio médico às vítimas dos confrontos.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

Cáritas Jerusalem

Apesar de se ter visto obrigada a suspender temporariamente “todas as operações no terreno” devido à “escalada de violência e distúrbios”, a Cáritas Jerusalem lançou um Sistema de Apoio à Equipa de Gaza, o Together Putting Love into Action (TPLA), que é dedicado a “fornecer assistência vital e solidariedade” aos colegas que têm a sua base em Gaza e “estão a enfrentar circunstâncias extremamente desafiadoras e complexas”. Num comunicado divulgado esta quarta-feira, 11, a organização católica assegura que tem “um plano de emergência pronto para ajudar a população assim que a situação permitir”.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina

UnrwaMohammed Hinnawi As famílias em Gaza estão abrigadas em escolas da Unrwa

Mais de 175 mil deslocados estão atualmente abrigados em escolas da Agência das Nações Unidas. Foto © UNRWA/Mohammed Hinnawi.

 

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Médio Oriente, também conhecida pela sigla UNRWA (do inglês, United Nations Relief and Works Agency for Palestine Refugees in the Near East) também está a proporcionar abrigo, cuidados de saúde de emergência, apoio psicossocial remoto e primeiros socorros psicológicos aos milhares de palestinianos que sofrem as consequências da forte escalada de violência na Faixa de Gaza. Mais de 175 mil deslocados estão atualmente abrigados em escolas desta entidade, que estima que o número aumente à medida que os bombardeamentos e ataques aéreos continuam.

Mais informações sobre como ajudar aqui.

 

A Loucura do Bem Comum

A Loucura do Bem Comum novidade

Está um dia de sol. O caminho pelo jardim é sempre um bom começo. Apresso o passo pois sei que estou atrasada. O auditório está quase cheio e no pequeno palco alguém inicia a conferência de abertura. Para me sentar, passo frente a quem chegou a horas e tento ser o mais discreta possível. Era o primeiro tempo do PARTIS (Práticas Artísticas para a Inclusão Social) de 2024 na Fundação Gulbenkian. O tema “Modelos de escuta e participação na cultura” desafiou-me a estar e ganhei esse tempo! [Texto Ana Cordovil]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

O regresso da sombra da escravidão

O regresso da sombra da escravidão novidade

Vivemos um tempo de grande angústia e incerteza. As guerras multiplicam-se e os sinais de intolerância são cada vez mais evidentes. A fim de ser concreta também a nossa Quaresma, o primeiro passo é querer ver a realidade. O direito internacional e a dignidade humana são desprezados. [O texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This