Em entrevista

Francisco admite revisão na disciplina do celibato

| 10 Mar 2023

papa em encontro com crianças refugiadas ucranianas, foto vatican media

O Papa num encontro com crianças refugiadas ucranianas: a guerra continua a ser uma preocupação para Francisco, que se mostra disponível para mediar. Foto © Vatican Media.

 

O Papa admitiu, numa entrevista divulgada nesta sexta-feira, 10 de Março, que a “disciplina” do celibato obrigatório pode ser revista e que pode haver ordenação de homens casados na Igreja Católica de rito latino, como acontece em comunidades de rito oriental.

“Não há nenhuma contradição na possibilidade de um sacerdote casar. O celibato na Igreja ocidental é uma prescrição temporal”, referiu, em conversa com o responsável pelo portal Infobae, da Argentina. Afirmando que “o celibato é uma disciplina”, Francisco respondeu que “sim” à pergunta sobre se tal disciplina poderia ser revista.

A conversa retomou as várias intervenções do Papa sobre o acolhimento das pessoas homossexuais, sublinhando que ninguém está excluído da Igreja. “A grande resposta foi dada por Jesus: todos. Todos, todos dentro”, assinala, convidando a centrar o debate no “essencial do Evangelho”.

O tema é abordado igualmente noutra entrevista, à Rádio Televisão Suíça (RSI), que será transmitida no domingo. “Não devemos esquecer-nos disto: a Igreja não é uma casa para alguns, não é seletiva. O santo povo fiel de Deus é este: todos”, declara o Papa nessa outra conversa.

Francisco admite a sua “preferência pelos descartados”, mas recorda que “Jesus não manda embora os ricos”. E acrescenta: “A realidade vê-se melhor [a partir] dos extremos do que do centro. De longe, entende-se a universalidade. É um princípio social, filosófico e político.”

As duas entrevistas abordam também a guerra “mundial”, com epicentro na Ucrânia, críticas à “indústria das armas” e a manifestação da disponibilidade para ser mediador: “Putin sabe que estou à disposição. Mas há interesses imperiais, não apenas do império russo, mas de outros impérios”, denuncia o Papa à RSI.

Na entrevista ao Infobae, Francisco admite reservas quanto a uma solução rápida para o conflito na Ucrânia e que o primeiro-ministro da Índia, Narandra Modi, “pode fazer alguma coisa”. Há “vários governantes que estão a mover-se, há um grupo israelita que está a avançar bem, mas não sabemos aonde isso vai levar”, acrescenta.

O Papa evoca o seu antecessor, Bento XVI, que morreu no último dia de 2022, como “um homem de Deus”, e assume que a “falta de clareza”, para avaliar as situações, o poderia levar a renunciar ao pontificado, como fez o seu antecessor.

Na entrevista ao portal argentino, Francisco assume o desejo de visitar o seu país natal e deixa críticas ao regime da Nicarágua, referindo-se ao bispo de Matagalpa, Rolando Álvarez, condenado a 26 anos de prisão. A ONU falou entretanto de “crimes contra a humanidade” no país. [ver outra notícia no 7MARGENS]

O Papa mostra-se ainda confiante na possibilidade de uma mudança na Venezuela, considerando que “as circunstâncias históricas obrigarão a mudar a forma de diálogo” do governo de Nicolás Maduro.

 

“A homilia não deve durar mais de oito minutos, senão as pessoas adormecem… e com razão!”

Papa Francisco insiste

“A homilia não deve durar mais de oito minutos, senão as pessoas adormecem… e com razão!” novidade

Já não é a primeira vez que o Papa deixa este aviso aos padres católicos, e na catequese desta quarta-feira,12 de junho, voltou a insistir: “A homilia não deve durar mais de oito minutos, porque depois, com o tempo, perde-se a atenção e as pessoas adormecem… e com razão!”. Perante milhares de fiéis na Praça de São Pedro, Francisco explicou que o objetivo de uma homilia é “ajudar a transferir a Palavra de Deus do livro para a vida”.

Jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas

Após quatro anos de detenção

Jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas novidade

Após quatro anos de detenção, a jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas. Numa mensagem divulgada esta terça-feira, 11 de junho, a Amnistia Internacional apela às autoridades chinesas que garantam que Zhang Zhan seja autorizada a circular livremente e a comunicar com pessoas dentro e fora da China, e ainda que ela e a sua família não fiquem sujeitas a vigilância ou assédio, devendo ter pleno acesso a tratamento médico após a sua experiência traumática.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Vai nascer uma “Aldeia da Esperança” nos Açores, inspirada em Taizé

Proposta pelo Conselho Pastoral Diocesano

Vai nascer uma “Aldeia da Esperança” nos Açores, inspirada em Taizé novidade

“Organizar uma `Aldeia da Esperança´, dirigida aos jovens, em formato de acampamento, seguindo o modelo de Taizé, a decorrer no verão, de preferência na ilha de São Jorge, no Santuário do Senhor Santo Cristo da Caldeira”: esta é uma das várias propostas feitas pelo Conselho Pastoral Diocesano de Angra – reunido em Ponta Delgada entre os dias 8 e 10 de junho – que irá passar do papel à prática.

Lembrar Aristides de Sousa Mendes, “seguir a voz da consciência” e também hoje “salvar vidas”

Comissão Justiça e Paz de Braga

Lembrar Aristides de Sousa Mendes, “seguir a voz da consciência” e também hoje “salvar vidas” novidade

A Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Braga associa-se à comemoração do Dia da Consciência – que se celebra anualmente a 17 de junho em homenagem a Aristides de Sousa Mendes – através de uma mensagem que assinala a importância de, tal como fez o cônsul de Portugal em Bordéus no século passado, “seguir a voz da consciência” e assim contribuir, no tempo presente, para “salvar vidas”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This