Professor do Ano é indiano e transformou a vida de milhares de raparigas

| 5 Dez 2020

O prémio de Professor do Ano (Global Teacher Prize) foi para o indiano Ranjitsinh Disale, que dá aulas na Escola Primária Zilla Parishad, em Paritewadi, uma aldeia no estado de Maharashtra. O anúncio foi feito esta quinta-feira, 3 de dezembro, numa cerimónia online a partir do Museu de História Natural de Londres, organizada pela Fundação Varkey em parceria com a UNESCO, promotoras da iniciativa. Na última década, Disale mudou a vida de milhares de raparigas na Índia, conseguindo que passassem a ir à escola em vez de serem forçadas a casar-se ainda adolescentes. Aprendeu o idioma principal dos alunos, o canarim, e traduziu todos os livros do 1.º ao 4.º ano para essa língua, juntando-lhes códigos QR com poemas em áudio, aulas em vídeo e histórias, que foram determinantes durante o período de confinamento devido à pandemia. Trata-se do primeiro indiano a receber este prémio e também do primeiro a decidir partilhar metade do mesmo (cujo valor total é de um milhão de dólares, cerca de 823 mil euros) com os restantes nove finalistas, tendo sido escolhido entre 12 mil concorrentes, oriundos de 140 países diferentes. Ler mais aqui.

 

Igreja precisa mais dos média do que o contrário

Debate 7M: A Igreja e os média (1)

Igreja precisa mais dos média do que o contrário novidade

Quando se pergunta se em Portugal a relação da Igreja com os média e os jornalistas é boa, uma resposta simplista é sempre uma má resposta, principalmente porque estamos a falar de uma instituição, a Igreja Católica, que por si só é uma multiplicidade de realidades. Para ser honesto, prefiro responder que não há uma resposta, mas muitas respostas, tantas quanto as instituições ou os serviços que constituem a Igreja portuguesa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

… E de novo tostões e milhões!

[Segunda Leitura]

… E de novo tostões e milhões! novidade

Para o sr. Berardo, pelos vistos, um milhão de euros deve ser uma ninharia. Porque ele deve cerca de 900 milhões. Ou seja: gente como nós precisava de viver novecentas vidas para acumular esse montão de notas. E como é que alguém, no espaço de meia dúzia de anos, consegue ficar a dever 900 milhões de euros?… Como?…

O melhor seria

O melhor seria novidade

Tive três filhos e perdi quatro. Por um deles, que não sobreviveu in utero, fui levada para uma ala da maternidade onde havia mulheres com os seus filhos, já nascidos ou prestes a nascer. Havia uma outra ala, a de quem estava para abortar.

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Abusos sexuais

A Igreja tem de aprender a prestar contas

Gostaria de falar, em primeiro lugar, acerca da Igreja enquanto instituição de poder, porque essa é uma das maiores premissas que orientam o meu trabalho enquanto jornalista que se dedica à cobertura dos assuntos religiosos e, em especial, ao escrutínio da atividade da Igreja Católica. Que não haja dúvidas: a Igreja é uma instituição de poder.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This