Luigino Bruni

O Mercado e o Templo (9): A infinita controvérsia que opõe o honesto e o útil

As informações detidas por quem comercializa são a base de uma decisiva e ambígua capacidade de antecipar o futuro. Da clara condenação da especulação mercantil por parte da cultura romana e dos Padres da Igreja à reavaliação dos franciscanos, esposos da senhora pobreza.     Não é nada simples obter dos textos bíblicos e dos evangelhos uma...

O Mercado e o Templo (7): Quando o débito público era uma questão de dom

Se queremos compreender como se desenvolveu a ética económica na cristandade medieval e, depois, no capitalismo, temos de procurar mover-nos na sua radical ambivalência, partindo da primeira teologia cristã. As diversas conceções medievais, o debate que delas brotou e a questão que hoje se coloca (não só) à Europa.   Se queremos compreender...

O Mercado e o Templo (6): E, entre Judas e Madalena, nasceu a economia europeia

O “ecónomo-traidor” torna-se imagem de quem vende para ganhar, de todo o comércio torpe; e a Maria, que une três diferentes mulheres dos Evangelhos, símbolo do desperdício piedoso para o culto para o bem comum. A desvalorização do trabalho e do mercado, fruto das culturas arcaicas e greco-romana e de erradas “ideias teológicas”.   Não é...

Pin It on Pinterest