Novo livro

Há dois mil anos de presença judaica em Portugal e Esther Mucznik foi à procura dessa história

| 28 Set 2021

Capa do novo livro de Esther Mucznik.

 

O que nos diz a história de quase dois mil anos de presença judaica no território que é hoje Portugal? Partindo desta pergunta, a investigadora em temas judaicos Esther Mucznik escreveu um livro que pretende mostrar como “a vida dos judeus portugueses é indissociável da história de Portugal”. A obra, com o título Judeus Portugueses – Uma história de luz e sombra (ed. Manuscrito), será apresentada nesta terça-feira, 28, às 18h30, no espaço cultural do El Corte Inglés, de Lisboa.

“Contrariamente aos seus irmãos de fé na Europa cristã, sucessivamente expulsos dos mais diversos países e novamente readmitidos ao sabor da necessidade dos seus préstimos, os judeus na Península Ibérica aqui permaneceram quase sem interrupção durante mais de 1500 anos”, verifica a autora no seu novo livro.

Uma nota da editora refere-se ao judaísmo português como “resultado de uma longa história: umas vezes trágica, outras vezes mais serena, mas sempre muito rica”, que incluiu “momentos, episódios e personalidades inesquecíveis”, como “financeiros e médicos, filósofos e exegetas, matemáticos e astrónomos”. Essas pessoas “contribuíram para o desenvolvimento económico, cultural, científico e filosófico de Portugal” e tal contributo foi tanto maior quanto maior era a liberdade, a tolerância e a interacção social e política entre os diferentes povos”.

Neste livro, Esther Mucznik cruza a história dos judeus e a história de Portugal em momentos e episódios concretos e através da vida de personalidades que mostram essa relação íntima, “feita de convivência e de perseguição, de amor e de ódio, de desterro e de saudade, de reencontro e de reconciliação, de luz e de sombra”.

Esther Mucznik a falar numa conferência. Foto Direitos Reservados

A autora publicou já, além de artigos de imprensa e catálogos, vários livros como a biografia de Grácia Nasi (2010), Portugueses no Holocausto (2012), Auschwitz, Um Dia de Cada Vez (2015) e A Grande Epopeia dos Judeus no Século XX (2017). Nascida em Lisboa, filha de pais judeus polacos, Mucznik viveu em Israel e Paris, onde estudou Língua e Cultura Hebraicas e Sociologia (na Sorbonne). Foi também co-coordenadora do Dicionário do Judaísmo Português (2009), é co-fundadora da Associação Portuguesa de Estudos Judaicos e fundadora da Associação Memória e Ensino do Holocausto – MEMOSHOÁ, da qual é presidente. Fundou também o Museu Judaico de Lisboa, que está em preparação.

 

 

 

 

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana novidade

Quando ambos falamos de realização humana, talvez estejamos a referir-nos a coisas diferentes. Decerto que uma pessoa com deficiência pode ser feliz, se for amada e tiver ao seu alcance um ambiente propício à atribuição de sentido para a sua existência. No entanto, isso não exclui o facto da deficiência ser uma inegável limitação a algumas capacidades que se espera que todos os seres humanos tenham (e aqui não falo de deficiência no sentido da nossa imperfeição geral).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This