Papa Francisco: Repensar o destino comum perante o ressurgimento de tendências nacionalistas

| 7 Jan 2019 | Igreja Católica

O Papa Francisco convidou a comunidade internacional a “repensar o nosso destino comum” perante o “ressurgimento de tendências nacionalistas que minam a vocação de as organizações internacionais serem espaço de diálogo e encontro para todos os países”.

Nesta segunda-feira, 7 de janeiro, aquando das felicitações de ano novo por parte do corpo diplomático acreditado na Santa Sé, Francisco dirigiu aos embaixadores um discurso de aproximadamente uma hora, pedindo soluções para conflitos que assentem na boa vontade, na boa fé e na abertura para se comprometer com o outro. Em quatro partes, o Papa falou da primazia da justiça e do direito, da defesa dos mais fracos, da construção de pontes entre os povos e da necessidade de repensar o nosso destino comum.

Baseando-se na sua própria mensagem para o Dia Mundial da Paz, celebrado a 1 de janeiro, o Papa argentino voltou a lembrar que “a boa política está ao serviço da paz” e, servindo-se do exemplo da Síria, sugeriu que os líderes devem “dar voz a quem não tem voz”, apelando à comunidade internacional para encontrar uma “solução política para um conflito que, no fim, terá apenas derrotados”.

Como “sinais de paz”, o Papa Francisco destacou o acordo diplomático entre a Etiópia e a Eritreia, que pôs fim a vinte anos de conflito, bem como os sinais positivos na Península coreana. Neste caso, afirmou, a Santa Sé espera que se consigam “enfrentar também as questões mais complexas com uma atitude construtiva e levar a soluções partilhadas e duradouras, bem como assegurar um futuro de desenvolvimento e cooperação para o povo coreano inteiro”.

Perante os 183 representantes de países de todo o mundo, Francisco condenou mais uma vez a proliferação das armas nucleares, afirmando: “As armas de destruição de massa, em particular as atómicas, geram unicamente um sentido enganador de segurança e não podem constituir a base da convivência pacífica entre os membros da família humana que, ao contrário, deve inspirar-se numa ética de solidariedade.”

O Papa lembrou ainda a importância da preservação do meio ambiente, condenando os efeitos dramáticos da exploração da natureza, em especial na Amazónia, que “estará no centro da próxima assembleia especial do Sínodo dos Bispos, prevista para o mês de outubro no Vaticano”.

 

Breves

Boas notícias

É notícia 

Cultura e artes

Exaltação das comunidades errantes

Exaltation é um diamante lapidado ou um extraordinário colar que vai desfiando preciosidades raras. Desde logo, pela voz única do contratenor israelita Yaniv d’Or, de ascendência sefardita (os judeus da Península Ibérica).

Pessoas

Sete Partidas

Noruega, metáfora do futuro

 Este país do norte da Europa que, pelos mitos do frio e do escuro, pensava só se poder escolher por necessidade ou por loucura, é agora a minha casa desde há cinco anos.Recordo ainda assim que já o via de longe e o admirava pela sua verdadeira social-democracia e...

Visto e Ouvido

Agenda

Jan
21
Seg
Curso Filosofia, Literatura, Espiritualidade – 1ª sessão @ Capela do Rato (Lisboa)
Jan 21@18:15_20:00
Conversas sobre Doutrina Social da Igreja – Dignidade da Pessoa @ Instituto Universitário Justiça e Paz (Coimbra)
Jan 21@21:30_23:00
Jan
23
Qua
Curso Teórico-Prático de Introdução ao Budismo Tibetano @ Círculo do Entre-Ser (Lisboa)
Jan 23@19:00_22:30

Ver todas as datas

Entre margens

Fale connosco