Ana Cordovil

A prova dos caracóis

Como o trabalho voluntário em ambientes de incerteza e risco nos pode levar a viver valores que defendemos, mas que dificilmente concretizamos. Retomo e continuo a última crónica em que escrevia, recorrendo a um diário em que registei algumas notas, sobre o trabalho que fiz com 16 anos (em 1973) no Bairro do Relógio, em Lisboa, perto da Rotunda...

Mais adultos na dor e mais crianças na alegria

Como o trabalho voluntário em ambientes de incerteza e risco nos pode levar a viver valores que defendemos, mas que dificilmente concretizamos. “Aqui começou um pouco da minha vida” – escrevia eu num diário de adolescente a 16 de janeiro de 1973, com os meus 16 anos.Em resposta a um desafio inesperado (mas que me encheu a alma) de uma cunhada que...

Experimentar a comunidade

“O bailado desagregador e subversivo da Festa”*Não era só aos domingos que o meu coração batia de Alegria, também comecei a ir lá em algumas tardes da semana.A porta era verde e não muito grande e estava quase sempre aberta. Durante a semana havia algumas atividades, mas era sobretudo a possibilidade de encontrar gente da minha idade e outros...

Um lugar para todos

O serviço educativo do Museu Nacional de Arte Antiga, criou na década de 1960 oficinas para crianças e jovens com atividades artísticas diversas “que ligassem as mãos e o pensamento num só ato”. Parte destas oficinas decorriam nos jardins do Museu. Este movimento inovador em Portugal foi impulsionado pelo diretor do museu, João Couto (1932/1962),...

A arte como um abraço – Descobrir

Quando me perguntam qual é a minha profissão gosto de dizer que sou pintora porque é o que gosto mais de fazer. Mas nunca foi possível sustentar-me pela arte.Desde criança desenhava por todo o lado com prazer e a minha mãe encontrava diversas vezes desenhos meus em locais inesperados, como nas paredes por detrás de casacos pendurados. Lembro-me...