Uma estranha serenidade…

O que é que nos dará a verdadeira vida em tempos de Terra devastada? Como encontrar a serenidade no turbilhão dos dias quase sempre imperfeitos? O que há de notável, de estranho ou de profundo na imperfeição? Talvez o leitor já tenha tido a estranha sensação de...

“Playlist” pascal: Mahler, Beethoven, Bach e Haydn

  Algures no meu diário monástico, encontrei este fogacho que escrevi no silêncio das águas ecoantes do claustro interior do repouso eterno monacal: «Agora entendo no meu corpo próprio a filósofa Simone Weil que, no seu livro A gravidade e a graça, no capítulo...

Luz e negrume

  As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous,...

Requiem pelos vivos!

  Uma vagem e as suas sementes! Como poderá esta metáfora falar-nos de um Requiem, da vida e da morte? A vagem morre para que as sementes venham a ganhar vida quando caírem na terra. Esta imagem diz a profundidade da nossa morte, da minha e da tua. Nenhum de nós...

Pin It on Pinterest