Margarida Cordo

Otimismo obrigatório ou demagógico?

  Este texto está a ser escrito no fim de 2021. Em tempo de balanços as notícias avolumam-se; os desejos partilham-se; os receios escondem-se; as desesperanças ocultam-se também; as esperanças manifestam-se; as gratidões experimentam-se sem que, às vezes, se exprimam;… Enfim há lugar para esta diversidade de sentir e muito mais. Atravessamos...

Advento, Natal e Ano Novo

  Vem aí o Natal. É o que todos sabemos. Um mote mais do que provável, talvez impertinentemente banal e desinteressante. O calendário marca a nossa vida sempre e, nestes momentos cruciais, se se pode dizer isto, marca ainda de forma mais notória. Nós, católicos, devemos ter os nossos corações em festa grande: nasceu Aquele que veio para nos...

Apologia da simplicidade

  Provavelmente, nos tempos que correm, este título não interessa mesmo nada. Ainda assim há que arriscar. Todos temos imensas coisas para dizer e um manancial infindável de opiniões a dar. Vamos assoberbando os canais através dos quais comunicamos com dezenas de assuntos, ditos e reditos de milhares de maneiras. Nem me passa pela cabeça...

Os dias não têm 24 horas

  E se de repente nos viessem dizer que cada dia passaria a ter apenas 16 ou 17 horas? Com a falta de tempo de que sempre nos queixamos iríamos, decerto, apanhar um susto. Não saberíamos como resolver tamanho corte e, com imensa probabilidade, entraríamos em stresse, esse companheiro que nos boicota a vida num padrão que, como alguém disse,...

Velhice aos 60, doença obrigatória

  Fomos de férias. Que lugar-comum esse que apenas descreve a clássica paragem de Agosto! Nada de novo e tudo diferente ao ir e ao regressar. É mesmo estranho o que estamos a viver – um mundo de imprevistos e de incertezas, no qual antes pareciam só existir convicções e controlos; um lugar de todos e de ninguém, aquele que, antes, sem...

Pin It on Pinterest