Ana Sofia Brito

Olhares baços no horizonte baço

  É nas terras de horizonte baço que os direitos são mais negligenciados, pensava eu ao caminhar por ruas tranquilamente infernais numa tentativa de compreender o que via e sentia. Meninos descalços, sem nome São meninos de olhos vazios e mão estendida E eu, que sou também mãe, filha, irmã, sobrinha, tia, neta, amiga, amante… amada Porque me...

Tudo começa com uma metáfora

  Li num livro de Milan Kundera que “as metáforas podem ser muito perigosas” e que “o amor começa sempre com uma metáfora”. Estas frases soam-me em eco desde então, não fosse o meu vocabulário um território manco onde a muleta de todas as horas são precisamente as metáforas. Certa vez, perguntaram-me o que eu achava...

Alma mutilada

  Samuel caminhava dançante num jogo de toca e foge com a suave rebentação da extensa e espelhada beira-mar de Keri Beach. Entusiasmado com a chegada à nova cidade, discursava e gesticulava comparações entre as imensas praias por onde passara. O fiel Odara escutava-o ao longe, absorto no encantamento da devoradora paisagem. Caminhava a...

Carta de uma mãe ao mundo

  Diz-se muito que os filhos servem para ensinar aos pais o amor incondicional. Acredito em parte. Realmente, os filhos vêm para que consigamos perceber a quantidade de amor que somos capazes de suportar cá dentro. O problema é que crescemos pouco treinados para lidar com essa expansão; e são poucos, aqueles que se entregam à real...

Saberei ser quem sou?

  Que me fosse concedido o desejo de aquietar a consciência, aquele dom invejável dos sábios discretos; às tantas, vivo cansada de uma mente desobediente a perturbar cada instante que a vida me dispõe. Parece que, afinal, o sonho é obra do ego, e o ego é obra do diabo. No regaço do meu cansaço, imploro o meu avesso; dai-me vida, sabedoria...

Pin It on Pinterest