Sara Jona Laísse

Performance, expressões, palavras: rituais do acto de contar

Este jeito de contar as nossas coisas à maneira simples das profecias – Karingana ua Karingana! – é que faz o poeta sentir-se gente E nem de outra forma se inventa o que é propriedade dos poetas nem em plena vida se transforma a visão do que parece impossível em sonho do que vai ser, Karingana!” José Craveirinha, Karingana ua Karingana (Lisboa:...

Servir: lavar as mãos, lavar os pés, lavar o coração

Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara sua hora de passar deste mundo ao Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. […] Depois de lhes ter lavado os pés e retomado as vestes, pôs-se de novo à mesa e lhes disse: “Sabeis o que vos fiz? Vós me chamais de Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. Se, portanto...

Banco de Tempo, solidariedade e o legado da minha mãe

  Estou em Almada e tenho feito a travessia Cacilhas-Lisboa, com alguma frequência, na medida do recomendado pelo Estado de Emergência. Deve ter sido por isso que me recordei de parte das histórias que seguem neste texto. Além de que foi nessa travessia que surgiram algumas conversas sobre os subtemas abordados. A primeira vez que ouvi falar...

A minha sogra merece, as outras também

  Não é por ser eu a escrever que elogio a minha sogra. É que ela, de facto, merece elogios e uma boa lembrança da minha parte. Tenho pena de não ter convivido muito mais tempo com ela. Digo isso repetidas vezes. Tinha privado com ela, na altura da festa do meu casamento, à qual ela se deslocou de Inhambane, uma província do sul de...

Pin It on Pinterest