Uma dezena de padres investigados pela Igreja em Portugal, desde 2001, por abusos sexuais

| 12 Fev 19

 

A Igreja Católica já investigou desde 2001, em Portugal, uma dezena de denúncias de abuso sexual de menores. De acordo com o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), padre Manuel Barbosa, “os casos tratados nos tribunais eclesiásticos onde chegam as denúncias são pouquíssimos” e, desses, em mais de metade “a investigação prévia parou por falta de fundamento”. 

Durante esta semana, o jornal digital Observador está a publicar as histórias dos vários casos que vieram a público e abriu uma caixa de contactos para quem queira partilhar alguma história ou informações relevantes.

Citado pela mesma fonte, o porta-voz da CEP, que falou a vários jornalistas no final da reunião do conselho permanente da CEP, que decorreu em Fátima esta terça-feira, 12 de Fevereiro, admitiu que se deve reconhecer “com humildade se houve casos em que não se agiu corretamente”, porque “pode acontecer que aqui ou ali não tenha existido essa investigação”. Mas considera também ser “justo reconhecer” que a CEP tem trabalhado “a nível de orientações comuns”. E acrescentou: “Além da Igreja, pergunto se há outras instituições que têm levado isto a peito. É uma interrogação que deixo.”

Manuel Barbosa reafirmou ainda a orientação de “tolerância zero” para com estes casos e a “disponibilidade activa” dos bispos “para escutar as presumíveis vítimas” destes processos. Citado na Ecclesia, o porta-voz da CEP afirmou: “Como o Papa diz, temos de ter tolerância zero neste drama e, nesse sentido, esta escuta, todo o processo que se deve ter em consideração, passa sobretudo, naturalmente, pelas dioceses, porque é aí que as pessoas vivem. Se houver denúncias têm de ser encaminhadas para quem de direito, nas próprias dioceses.”

Na próxima semana, entre os dias 21 e 24, decorre em Roma uma cimeira sobre abusos sexuais, convocada pelo Papa, e que reunirá os presidentes das conferências episcopais de todo o mundo. A comissão organizadora da reunião pediu aos bispos que ouçam vítimas de abusos mas a CEP já fez saber que o seu presidente, estando disponível para o caso de alguém aparecer, não terá a iniciativa de chamar alguém nessa situação. Segundo o Observador, há pelo menos, nove vítimas cujas identidades são do conhecimento da hierarquia católica.

Tão pouco está previsto qualquer levantamento nacional deste tipo de casos. No entanto, se houver uma “orientação da Santa Sé nesse sentido”, a assembleia plenária da CEP poderá tomar outras decisões. “Mas teremos de esperar pelo encontro” da próxima semana, sublinhou.

Citado na Ecclesia, o padre Hans Zollner, da comissão organizadora da reunião, afirmou que nela “serão discutidas as responsabilidades pastorais e jurídicas do bispo” e o “tema da transparência”, seja ela “interna, mas também para com as autoridades estatais e com todo o povo de Deus”.

(Vídeo: Agência Ecclesia)

Artigos relacionados

Breves

Comissão Europeia reduz metas da luta contra a pobreza

A Comissão Europeia (CE) reduziu o objetivo europeu quanto ao número de cidadãos que pretende tirar da pobreza daqui até 2030: a meta são agora 15 milhões no lugar dos 20 milhões que figuravam na estratégia anterior [2010-2020]. O plano de ação relativo ao Pilar dos Direitos Sociais proposto pela CE inclui ainda a “drástica redução” do número de sem-abrigo na Europa, explicou, em entrevista à agência Lusa, publicada nesta sexta-feira, dia 5 de março, o comissário europeu do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit.

Hino da JMJ Lisboa 2023 em língua gestual portuguesa

Há pressa no ar, o hino da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, tem agora uma versão em língua gestual portuguesa, interpretada por Bruna Saraiva, escuteira do Agrupamento 714 (Albufeira) do Corpo Nacional de Escutas.

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Arte de rua: amor e brilho no olhar

Ouvi, pela vida fora, incontáveis vezes a velha história da coragem, a mítica frase “eu não era capaz”; é claro que não, sempre que o preconceito se sobrepõe ao amor, não é possível ser-se capaz. Coragem?? Coragem eu precisaria para passar pela vida sem realizar os meus desejos, nesse louco trapézio entre doses paralelas de coragem e cobardia.

Eternidade

A vida segue sempre e nós seguimos com ela, necessariamente, como se fôssemos empurrados pela passagem inexorável do tempo. Mas enquanto uns aceitam esse empurrão inexorável como um impulso para levantar voo – inclusive até lugares onde o tempo não domina –, outros deixam-se arrastar por ele até ao abismo. Porque quando o tempo não serve para moldar e edificar pedaços de eternidade, ele apenas dura e, portanto, a nada conduz (a não ser à morte), pois a sua natureza é durar, sem mais.

França: a Marianne de barrete frígio ficou traumatizada

Os políticos europeus em geral não sabem nada do fenómeno religioso. Pior. Fingem que sabem e não se rodeiam de quem os possa esclarecer. Entretanto, a França parece querer trilhar um caminho perigoso. Quando o governo coloca as leis republicanas ao mesmo nível da lei de Deus, faz da república uma deusa e do secularismo uma religião.

Cultura e artes

Os lugares do Papa no Iraque: uma viagem de regresso, reencontro e reafirmação de fraternidade novidade

Os lugares da viagem do Papa ao Iraque erguem memórias que abarcam desde o berço da civilização nas planícies do sul da Mesopotâmia e de toda a sua história até ao berço da expansão judaico-cristã, nos vales e montanhas entre a Assíria e a vizinha Arménia. Ali começou a viagem de Abraão, ali Francisco regressa numa visita que traduz o reencontro e a reafirmação da fraternidade. Um percurso pelos lugares da viagem, ao encontro da memória desses lugares.

Arte de rua: amor e brilho no olhar

Ouvi, pela vida fora, incontáveis vezes a velha história da coragem, a mítica frase “eu não era capaz”; é claro que não, sempre que o preconceito se sobrepõe ao amor, não é possível ser-se capaz. Coragem?? Coragem eu precisaria para passar pela vida sem realizar os meus desejos, nesse louco trapézio entre doses paralelas de coragem e cobardia.

O Karimojong português

O padre Germano Serra, um missionário comboniano português, acaba de publicar o dicionário mais completo da língua karimojong, uma tribo semi-nómada do Uganda por que se apaixonou há quase quatro décadas.

Precisamos de nos ouvir (22) – António Durães: Talvez a arte nos possa continuar a salvar

Por força não sei de que determinação, o meu mundo, o mundo teatral, divide-se, também ele, em duas partes. Não há Tordesilhas que nos imponha o mundo assim, mas a verdade teatral determina-o: o mundo da sala e o mundo do palco. A cortina de ferro divide esses dois mundos de forma inexorável. Por razões de segurança, mas também por todas as outras razões. E esses dois mundos apenas se comunicam, quando o Encontro, como chamavam alguns antigos ao espectáculo, se dá.

Sete Partidas

Vacinas: Criticar sem generalizar

Alguns colegas de coro começaram a falar dos espertinhos – como o político que se ofereceu (juntamente com os seus próximos) para tomar as vacinas que se iam estragar, argumentando que assim davam um bom exemplo aos renitentes. Cada pessoa tinha um caso para contar. E eu ouvia, divertida.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This