Morreu o dominicano frei Mateus Peres, teólogo moral e exímio pregador

| 20 Jul 20

Frei Mateus Peres

Frei Mateus Peres. Foto: Ordem dos Pregadores

 

O frade dominicano Mateus Peres, especialista em Teologia Moral e que integrou uma geração de católicos marcada por preocupações sociais, políticas e de aprofundamento teológico, morreu na noite de domingo para segunda-feira, 20 de Julho, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Tinha 87 anos e era um exímio teólogo moral e pregador, fazendo jus ao nome da Ordem dos Pregadores a que pertencia.

Nascido a 23 de Abril de 1933, em Lisboa, Mateus Cardoso Peres cresceu com uma geração de intelectuais onde se incluíam Cristovam Pavia, Nuno Portas, Helena Vaz da Silva, João Bénard da Costa, Nuno Bragança, José Escada e muitos outros. Esteve ligado ao início dos cursos de Verão de teologia dos dominicanos, à edição portuguesa da revista Concilium, bem como ao grupo que editou a revista O Tempo e o Modo, ambas na década de 1960.

Oriundo de uma família de nove irmãos, o seu pai, engenheiro electrotécnico, morreu cedo, tendo a mãe e todos os seus irmãos sido acolhidos por um tio materno. Licenciado em Direito, e mais tarde doutorado em Teologia, no Canadá, com um trabalho sobre O Sujeito Moral (publicado pela Universidade Católica), Mateus Peres viveu e trabalhou em várias comunidades dominicanas, tendo chegado a desempenhar cargos institucionais (foi prior provincial, mestre de estudantes e membro da Cúria Geral da Ordem dos Pregadores).

Há longos anos, era ele que assumia a celebração da eucaristia no Mosteiro das Monjas Dominicanas, encerrado há pouco mais de um ano, conforme o 7MARGENS contou na altura. As suas homilias, curtas, incisivas e dotadas de uma grande capacidade de relacionar os textos bíblicos, os quotidianos e as grandes questões do nosso tempo, constituíam um importante momento de reflexão e aprofundamento para as pessoas que ali acorriam.

Nesse mosteiro, programava e animava as “Conferências do Lumiar”, que durante mais de três décadas lançaram mensalmente debates inovadores no catolicismo lisboeta e português. Além disso, como destaca o actual provincial dos dominicanos portugueses, frei José Nunes, Mateus Peres foi convidado para inúmeras conferências e retiros, e chegou a ser presidente da CNIR (Confederação Nacional dos Institutos Religiosos masculinos, que daria lugar à actual Confederação dos Institutos Religiosos Portugueses, depois de se ter juntado ao ramo feminino).

Mateus Peres chegou a leccionar alguns anos na Universidade Católica Portuguesa, além de outros lugares no estrangeiro. “A sua perspectiva foi sempre a de uma séria e honesta busca da verdade, não deixando nunca de dar prioridade ao concreto da pessoa humana em situação, sem abandonar a lei moral objectiva e apresentada pela Igreja”, diz ainda frei José Munes, em nota enviada ao 7MARGENS.

A morte aconteceu depois de quase um mês de hospitalização, após um agravamento do seu estado de saúde, que se vinha deteriorando desde há anos.

O seu corpo chegará, às 12h desta terça-feira, 21 de Julho, ao Convento de São Domingos de Lisboa, onde será celebrada missa às 17h. O funeral sairá depois para o cemitério do Alto de São João, onde está prevista a cremação cerca das 18h30h.

 

Artigos relacionados

Violência e saque continuam em Cabo Delgado: “Esta é a dor de um povo”, diz missionário refugiado em Pemba

Violência e saque continuam em Cabo Delgado: “Esta é a dor de um povo”, diz missionário refugiado em Pemba

“As lideranças [das aldeias] relatam que, pelos caminhos, estão encontrando muitos corpos já em decomposição e que aconteceram massacres. As acções dos terroristas são violentas, muitas pessoas foram decapitadas, casas queimadas e derrubadas. Esta (…) é a dor de um povo. Gente que continua sem localizar seus familiares. Pessoas que tiveram suas casas queimadas. Muitas pessoas assassinadas. Fala-se de massacres e de 500 mil deslocados. Vidas e vilas destruídas.”

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Reino Unido: Líderes católicos condenam cortes na ajuda ao desenvolvimento

A hierarquia da Igreja Católica britânica condenou veementemente a decisão anunciada esta semana pelo ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, de reduzir a ajuda ao desenvolvimento em 2021 para 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) contra os habituais 0,7%, o que significa um valor de cerca de 10 mil milhões de libras (cerca de 11 mil milhões de euros), contra os 15 mil milhões de libras de anos anteriores.

Exéquias de frei Armindo Carvalho, ex-provincial dos Franciscanos

Decorreram nesta quarta-feira, no Seminário da Luz, em Lisboa, as cerimónias exequiais de frei Armindo de Jesus Ferreira Carvalho, ex-ministro provincial dos franciscanos (Ordem dos Frades Menores). A celebração foi presidida pelo patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

Atenção aos pobres, pedem os bispos numa nota de preparação do Natal

Num texto de duas páginas e de estilo diferente do habitual – menos formal, com menos linguagem eclesiástica –, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou nesta terça-feira, 24, uma mensagem para o Advento, tempo de preparação para o Natal que se inicia no próximo domingo.

Um consistório virtual para os novos cardeais

O Vaticano confirmou nesta terça-feira, 24, que haverá uma plataforma em vídeo para a cerimónia de criação dos novos cardeais, no próximo sábado, para os que não possam estar em Roma fisicamente, garantindo assim as medidas de segurança devido à pandemia. Haverá no máximo 100 pessoas a participar e as visitas de cortesia e abraço da paz entre os novos cardeais ficam cancelados.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Dia Mundial dos Pobres: Vaticano oferece testes de covid-19 a sem-abrigo e distribui 5 mil cabazes de alimentos

Dia Mundial dos Pobres: Vaticano oferece testes de covid-19 a sem-abrigo e distribui 5 mil cabazes de alimentos

O Dia Mundial dos Pobres deste ano será assinalado, no próximo domingo, 15 de novembro: o Papa celebrará missa com um grupo de 100 pessoas na Basílica de São Pedro, serão oferecidos testes de covid-19 nas instituições do Vaticano que apoiam a população carenciada, e distribuídos cinco mil cabazes de alimentos para ajudar famílias em 60 paróquias de Roma.

É notícia

Entre margens

Valha-me o bom samaritano novidade

A idolatria da juventude leva os mais velhos a dizer coisas como “já não tenho idade para mais”. O referido palestrante ridiculariza esta desculpa. Eu vou tendo idade para fazer as coisas com mais experiência e conhecimento – e, portanto, com mais criatividade.
Aproveito ainda não ter lido a carta de Francisco Samaritanus bonus para exemplificar sentimentos e razões que podem nascer das referências e comentários nos meios de comunicação – como no 7MARGENS.

A Ilha da Verdade no Oceano da Desinformação

Quando vejo quanto tempo as pessoas dedicam aos seus ecrãs, dentro e fora de casa, mais ainda em tempo de pandemia onde andamos todos feitos zoomies, isto é, mortos-vivos de zoom em zoom, fico a pensar que não nos podemos queixar de não ter sido avisados. O que procuramos com todo este dinamismo digital? Que valor tem a conectividade permanente para uma vida plena e profunda? Sabemos ainda o que alimenta uma vida profunda?

O futuro será bom, se o presente o for

E, já agora, falando em mulheres e em livros, escrevo, também, numa altura em que me encontro a fazer um prefácio a uma antologia de textos literários de mulheres, juntamente com Ana Mafalda Leite. Eu e ela, bem como Ana Rita Santiago, ambas docentes de literaturas; a primeira em Portugal e a segunda no Brasil, temos trabalhos nos quais recenseámos a existência de mulheres escritoras em Moçambique (nascidas no país e lusodescendentes), das quais pouco se fala e escreve. Aproveito este espaço para divulgar os nomes dessas escritoras e mais adiante, neste texto, explicarei a razão da sua invocação. Colocarei em itálico, os nomes das que me consta não estarem entre nós.

Cultura e artes

Não podemos ignorar novidade

Há muitas razões que tornam este pequeno livro maior do que a sua dimensão física. A bibliografia sobre a luta antifascista é já extensa, mas este ensaio é diferente. Ao fazer a história da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos (CNSPP) nos seus cinco anos de existência (1969-1974), Edgar Silva escolhe retratar a sociedade portuguesa daquele período a partir do conceito de medo.

“Vimos do mar e da montanha”, um disco contemporâneo apresentado sábado, 28, em Lisboa

Vimos do Mar e da Montanha é o título do projecto discográfico que será apresentado neste sábado, 28 de Novembro, às 11h, na Igreja de São Tomás de Aquino (Lisboa). Com edição da Paulus Editora, o disco tem música de Alfredo Teixeira e João Andrade Nunes, e textos de José Augusto Mourão e do Missal Romano, sendo interpretado pelo Ensemble São Tomás de Aquino.

Descoberto esboço de retrato de Jesus atribuído a Leonardo da Vinci

Um equipa de investigadores italianos encontrou recentemente, numa coleção privada na região da Lombardia, o esboço de um retrato de Jesus Cristo que acreditam ser da autoria de Leonardo da Vinci. O desenho, feito a giz vermelho – técnica que era frequentemente utilizada pelo pintor renascentista – tem semelhanças com algumas das suas obras mais emblemáticas, nomeadamente “Mona Lisa” e os seus autorretratos, revelou o jornal britânico The Telegraph.

Abrir as “páginas seladas” do livro bíblico do Apocalipse em tempo de pandemia

O livro bíblico do Apocalipse (ou da Revelação) é uma profecia para tempos de crise e por isso é importante abrir agora as suas “páginas seladas”. Com esse mote, a comunidade católica da Capela do Rato propõe três sessões sobre o último dos livros da Bíblia cristã. Uma conferência de João Duarte Lourenço, uma leitura de Luís Miguel Cintra e um percurso proposto por Emília Nadal através da arte inspirada naquele texto serão as três etapas propostas para este itinerário.

Dois retábulos em restauro no Mosteiro de Pombeiro

Os retábulos de Nossa Senhora das Dores e de Santo António (bem como as respectivas esculturas) na nave da igreja do Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro (Felgueiras) estão a ser sujeitos a uma operação de conservação e restauro, com o objectivo de melhorar a estabilidade estrutural, valorizar a vertente conservativa e restituir, tanto quanto possível, uma leitura integrada do conjunto.

Sete Partidas

Ídolo novidade

Não sei quem escreveu o livro do Levítico, e gostava de saber, para lhe deitar as culpas retroactivas do fundamentalismo que se abateu sobre vastas áreas da Europa no século XVI, e que levou simpáticos cristãos a destruir inúmeros objectos de arte sacra porque viam neles uma blasfémia.

Aquele que habita os céus sorri

estamos perto

breve comentário aos textos bíblicos lidos em comunidade | Domingo I Advento B | Lisboa, 28 de Novembro de 2020.
António Pedro Monteiro

Agenda

Parceiros

Fale connosco