Um “grito de esperança” de redes cristãs em favor da Palestina

| 6 Jul 20

Palestina. Muro

O muro de separação entre Israel e Palestina. Foto Joalpe/Wikimedia Commons

 

Intitula-se “Grito de Esperança” e pretende ser um apelo urgente de redes e grupos cristãos, para que se ponha fim à actual situação dos palestinianos. Assinada pelo patriarca latino emérito de Jerusalém, Michel Sabbah, e pelo coordenador geral da rede Kairos Global pela Justiça, a petição apela à subscrição de todos os interessados, em apoio dos direitos do povo palestiniano, da justiça e da autodeterminação.

Em declarações citadas pelo Religión Digital, Rifat Kassis explica: “[A Igreja] já não pode manter-se de pé enquanto os líderes mundiais e a comunidade internacional espezinham os direitos do povo palestino à dignidade, à justiça e à autodeterminação no quadro do Direito Internacional. A própria integridade da fé cristã está em jogo.”

O apelo, cujo texto está também disponível em português, considera que se chegou “a um ponto crítico na luta para pôr um fim à opressão do povo palestino”. A adopção da Lei do Estado-Nação, em Israel, em 2018, “legalizou a discriminação institucional em Israel e nos territórios palestinos” e recentes actos da Administração dos EUA deu apoio ao projecto em curso de ocupação de terras da Palestina, em cerca de um terço da Cisjordânia ocupada, incluindo o Vale do Jordão.

Ficou mais claro, com os últimos desenvolvimentos, que acabou a “ilusão de que Israel e os poderes mundiais tenham a intenção de honrar e defender os direitos” dos palestinianos “à dignidade, à autodeterminação e aos direitos humanos fundamentais, garantidos sob o direito internacional, incluindo o direito de retorno a refugiados”.

“É chegado o tempo” de a comunidade internacional, “reconhecer Israel como um estado de apartheid em termos do direito internacional”. E essa é uma realidade que deve levar os cristãos a uma acção decisiva: “A verdadeira essência do ser igreja, a integridade da fé cristã e a credibilidade do evangelho estão em jogo. Declaramos que qualquer apoio à opressão do povo palestino, seja de forma passiva ou activa, através do silêncio, da palavra ou da acção, é um pecado. Afirmamos que o apoio cristão ao sionismo como teologia e uma ideologia que legitimam o direito de um povo para negar os direitos humanos de outro é incompatível com a fé cristã e um grave abuso da Bíblia. Conclamamos a todas as pessoas cristãs e as igrejas nos níveis congregacionais, denominacionais, nacionais e ecuménicos globais a comprometerem-se num processo de estudo, reflexão e confissão concernente à destituição histórica e sistémica dos direitos do povo palestino, e ao uso da Bíblia por parte de muitas pessoas para justificar e apoiar essa opressão.”

“Não podemos servir a Deus se permanecermos em silêncio quanto à opressão dos palestinos”, acrescenta o documento, que cita depois um conjunto de situações em que os cristãos rejeitaram situações de racismo, apartheid ou injustiça. E propõe, a seguir, um conjunto de iniciativas que dêem expressão ao estudo da situação, à afirmação não-violenta do direito à autodeterminação, à acção de governos e organismos mundiais, à oposição ao antissemitismo, antijudaísmo, racismo e xenofobia.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Cardeal Tolentino Mendonça preside ao 13 de maio em Fátima

O cardeal José Tolentino Mendonça irá presidir à peregrinação aniversária de maio no Santuário de Fátima. A informação foi avançada à revista Família Cristã esta sexta-feira, 9 de abril, pelo também cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima.

Ler Saramago em conjunto num zoom de Lisboa a Roma

O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago, foi a obra escolhida para dar o mote ao encontro organizado por dois clubes de leitura, um de Roma, outro de Lisboa, que decorrerá via Zoom, dia 16 de abril, às 18h00. Uma segunda sessão, na qual participará Pilar del Rio, presidente da Fundação José Saramago, terá lugar a 25 de junho, também às 18h00. A inscrição é gratuita e está aberta a todos.

Monge condenado a dois anos de cadeia na Turquia por dar comida

O padre Sefer Bileçen, padre Aho no nome monástico, da Igreja Siríaca Ortodoxa, ofereceu comida a um grupo que bateu à porta do seu mosteiro. O Ministério Público turco disse que o grupo era do PKK e acusa-o de prestar auxílio a uma organização terrorista, como o Governo turco considera o PKK, que reivindica há décadas a independência do Curdistão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Linguagem simbólico-religiosa: uma literacia para o humano novidade

Podemos compreender a linguagem dos símbolos e a linguagem religiosa como uma forma de comunicação que abre o ser humano a uma nova mundividência? Ou será tão estranha e distante que resulta num novo analfabetismo? Imaginemos o cenário seguinte: um casal percorre diariamente a avenida de uma grande cidade, repleta de anúncios e informação muito diversificada.

O jejum de Ramadão, um acto de obediência e adoração

Entre esta terça-feira, 13 de Abril, até 12 de Maio de 2021, os muçulmanos entrarão, in cha Allah, no mês do Ramadão (em árabe Ramadan), o nono mês do calendário lunar, durante o qual foi revelado o Alcorão, Livro Sagrado do Islão. O jejum do mês do Ramadão é o quarto pilar da prática no Islão, portanto, é uma obrigação religiosa.

Liberdade ou o valor das pequenas coisas

Vivemos dezenas de anos cheios de momentos especiais e de benefícios que insistimos em banalizar porque estavam ao nosso alcance, diria mesmo garantidos. Era pelo menos o que pensávamos. Atualmente parece que começamos a conhecer o valor das pequenas coisas e, se assim é, estamos a aprender uma grande lição.Muitas pessoas perdem tempo (gostava de poder dizer – perdiam) com detalhes que as coisificam.

Cultura e artes

A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

A Páscoa é sempre “pagã”

A Páscoa é sempre pagã / Porque nasce com a força da primavera / Entre as flores que nos cativam com promessas de frutos. / Porque cheira ao sol que brilha na chuva / E transforma a terra em páginas cultivadas / Donde nascem os grandes livros, os pensamentos / E as cidades que se firmam em pactos de paz.

50 Vozes para Daniel Faria

Daniel Faria o último grande poeta português do século XX, morreu há pouco mais de vinte anos. No sábado, dia 10, assinala-se o 50.º aniversário do seu nascimento. A Associação Casa Daniel assinala a efeméride com a iniciativa “50 Vozes para Daniel Faria” para evocar os poemas e a memória do poeta.

Sete Partidas

É o vírus, estúpido!

No princípio da semana (22 março),  Angela Merkel reuniu com os ministros-presidentes dos estados alemães para tomar decisões sobre o que fazer perante o actual descontrolo da situação na Alemanha. As hesitações dos políticos e os truques que alguns responsáveis regionais arranjaram para iludir as regras combinadas por todos foram fatais para a luta contra a mutação inglesa. Esta terceira vaga está a ser ainda mais rápida e avassaladora do que já se temia.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This