Tráfico de pessoas: Vaticano manifesta indignação e pede leis que protejam os mais vulneráveis

| 27 Jul 20

trafico humano, Foto ONU

Segundo dados revelados pelo Vatican News, apenas um traficante de seres humanos é condenado por cada 2.154 vítimas. Foto © ONU.

A Santa Sé participou na 20ª Conferência da Aliança contra o Tráfico de Pessoas, que decorreu na semana passada em Viena (Áustria), onde manifestou indignação face à discrepância entre o elevado número de vítimas e o reduzido número de traficantes condenados e defendeu a criação de um sistema legislativo que garanta “que os direitos das vítimas não sejam violados”, oferecendo-lhes “toda a assistência necessária”, noticiou o Vatican News.

Joseph Grech, representante da Missão Permanente da Santa Sé juntos dos organismos internacionais em Viena, sublinhou a elevada taxa de impunidade neste tipo de crimes, sendo que para cada 2.154 vítimas apenas um traficante de seres humanos é condenado. De acordo com um relatório de 2019, estima-se que cerca de 25 milhões de pessoas tenham sido vítimas de tráfico de seres humanos em todo o mundo. Mas, em 2018, apenas 12 mil traficantes foram levados à justiça.

Para o bispo maltês, estes números “devem deixar-nos indignados” e revelam que “apesar dos esforços da comunidade internacional, os recursos são escassos, principalmente por causa das contínuas crises económicas e da instabilidade sociopolítica em muitos Estados”.

Segundo Grech, o financiamento inadequado dos sistemas judiciários nacionais leva a que estes se concentrem em resultados imediatos, mas de alcance limitado, em vez de capturarem e condenarem os “peixes grandes”, para os quais são necessários mais tempo e recursos. Os mais vulneráveis ficam, assim “ainda mais frágeis” perante um sistema económico que não lhes garante um tratamento justo nem um apoio concreto durante os processos, alerta o bispo.

Na opinião do representante do Vaticano, é necessário garantir os direitos humanos “antes, durante e após o julgamento dos processos”, colocando as vítimas em condições de testemunhar com segurança, recorrendo a entrevistas pré-gravadas ou permitindo que sejam representadas por terceiros, e oferecer-lhes oportunidades para a sua plena reintegração social.

De modo a combater de forma mais eficaz as grandes organizações criminosas internacionais que se dedicam ao tráfico humano, Grech considera ainda urgente uma maior coordenação intergovernamental, nomeadamente na troca de informações e dados entre as polícias dos vários Estados. O representante da Santa Sé pediu também que seja assegurada a independência efetiva dos sistemas judiciários e que os media ofereçam apoio, promovendo campanhas de consciencialização junto da opinião pública e da classe política.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Novo arcebispo de Braga quer “portas abertas” para todos novidade

O novo arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, saudou a sua nova diocese manifestando a vontade de construir uma “Igreja em saída” missionária e “uma Igreja sinodal samaritana de portas abertas para todos”. O até agora bispo de Bragança-Miranda propõe as atitudes de escuta, conversão, confiança, comunhão, coragem criativa e oração como “caminhos sempre a percorrer no processo sinodal para uma Igreja de hoje”.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Máximo histórico

Quatro em cada dez espanhóis dizem-se ateus ou não crentes

O estudo mais recente do Centro de Investigações Sociológicas de Espanha revela que quase quatro em cada dez espanhóis (38,7%) se declaram ateus ou não crentes e são apenas 16,7% os inquiridos que se assumem como católicos praticantes. Trata-se do máximo histórico do número de não crentes e do valor mais baixo alguma vez registado em relação aos católicos praticantes. Se a tendência se mantiver, estima-se que dentro de dois anos o número de não crentes no país ultrapasse, pela primeira vez, o de crentes.

Entre margens

Combater bem o mal novidade

Os tempos que se vivem na Igreja Católica suscitam especial dor a todas as pessoas, sejam ou não crentes, provocando revolta em muitos contra um aparentemente imobilismo na resposta a uma crise que já se prolonga por demasiado tempo. A Igreja, enquanto realidade operante no mundo, não ficou imune a este fenómeno transversal à humanidade que é o abuso sexual de menores.

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Cultura e artes

Infosys premeia historiadora

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Xavier na Índia novidade

O Prémio Infosys 2021 em Humanidades, da prestigiada fundação indiana Infosys Science Foundation, foi atribuído à historiadora portuguesa Ângela Barreto Xavier “pela sua profunda pesquisa e sofisticada análise da conversão e violência no Império Português na Índia, especialmente em Goa”. O júri destaca a contribuição significativa da galardoada para a “história social e cultural do colonialismo português”, concretizando uma voz “importante e original” no que à história colonial e imperial diz respeito.

Sete Partidas

As prateleiras vazias

Teria eu uns 6 anos quando um dia o meu pai trouxe para casa uma pasta de chocolate Jubileu. Creio que a terá ganho num torneio de cartas, daqueles que se fazem nas aldeias, para angariar fundos para as festas da paróquia. Lembro-me bem disso porque não era nada normal termos acesso a essas lambarices. Na minha memória, o chocolate terá durado uns dias, ou semanas, porque o dividimos em pequenos pedaços. Para render e saborear.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This